Tentando aproximar a Ásia da América do Sul e vice-versa

Professor do MIT e o Engenheiro do Futuro

3 de agosto de 2015
Por: Paulo Yokota | Seção: Editoriais e Notícias, Educação | Tags: , , | 2 Comentários »

Um interessante artigo foi elaborado por Leticia Arcoverde e publicado no Valor Econômico sobre as conclusões a que chegou o professor Donald Sadoway, do MIT. As distorções de muitos engenheiros na sua formação são apontadas por ele, inclusive dos que atuam no setor econômico no Brasil sem conhecimentos de ciências sociais ou uso adequado de estatísticas.

clip_image001

Foto de um grupo no MIT – Massachusetts Institute of Technology, que vai muito além da engenharia

Leia o restante desse texto »


Fusão de Conteúdos das Disciplinas nos Colégios

6 de julho de 2015
Por: Paulo Yokota | Seção: Editoriais e Notícias, Educação | Tags: , ,

Um artigo publicado por Isabela Palhares no Estadão informa sobre as experiências de algumas escolas secundárias de pesquisas interdisciplinares.

clip_image002

Charge explicitando algumas dificuldades dos alunos

Leia o restante desse texto »


Yomiuri Shimbun Sobre a Reforma Universitária no Japão

17 de junho de 2015
Por: Paulo Yokota | Seção: Editoriais e Notícias, Educação | Tags: , ,

clip_image001O importante jornal Yomiuri Shimbun coloca a sua posição sobre a reforma universitária que está sendo recomendada pelo governo no Japão, que tem importância universal.

Yomiuri Shimbun tem versão em inglês

Leia o restante desse texto »


Educação de Alta Qualidade Pela Internet

22 de setembro de 2014
Por: Paulo Yokota | Seção: Cultura, Editoriais e Notícias, Educação | Tags: , , , | 2 Comentários »

Um importante artigo foi publicado por Camilo Rocha no jornal O Estado de S.Paulo sobre a visita ao Brasil de Daphne Koller, presidente da maior plataforma mundial de aulas online conhecido como Coursera, aberto para as massas, sistema que é conhecido nos Estados Unidos como Moocs. Somente do Brasil já existem 300 mil alunos nesta plataforma, figurando depois dos Estados Unidos, a Índia, a China e o Reino Unido, quando os chineses possuem o esquema de maior apresentação em mandarim, e os demais países utilizam o inglês como idioma. No Brasil, com a ajuda da Fundação Lemann estão sendo traduzidas e adaptadas muitas aulas das grandes universidades norte-americanas, em português, que são oferecidos gratuitamente, atendendo as demandas dos estudantes brasileiros que reconhecem as limitações das ofertas de educação de alta qualidade. Agora serão incorporadas aulas em colaboração com a USP – Universidade de São Paulo e a UNICAMP – Universidade Estadual de Campinas.

clip_image002                                           Dephne Koller, presidente da Coursera

A íntegra do resumo da entrevista com ela está no link: http://blogs.estadao.com.br/link/coursera-chega-ao-brasil/. As informações podem ser complementadas sobre as iniciativas com a USP e a UNICAMP pelo link: http://blogs.estadao.com.br/link/aulas-online-permitem-cursos-customizados/.

Dephne Koller explica que os cursos nos Estados Unidos também são gratuitos, mas os certificados das conclusões dos cursos são cobrados, sendo que naquele país estes são aceitos para os empregos nas grandes empresas. Ela espera que no Brasil também, como o maior conhecimento destes cursos, as empresas venham a considerar as conclusões dos mesmos para a seleção de pessoal.

Reconhece que no Brasil ainda existe uma insuficiência da oferta de cursos de alta qualidade, ao mesmo tempo em que muitos estudantes não dispõem das condições para frequentarem os cursos regulares, com os quais este esquema não pretende competir. Muitos estão efetuando os cursos pela internet, diante do reconhecimento que a educação é o meio mais adequado para a ascensão social.

O que está se cogitando com a UNICAMP são cursos personalizados que atendam as necessidades de cada estudante, segundo informações do pró-reitor, João Frederico Meyer. Também o diretor executivo da Fundação Lemann, Denis Minze explica esta característica personalizada.

Espera-se que estas inovações e aperfeiçoamentos tenham um grande impacto na melhoria dos recursos humanos brasileiros, que seria relevante para o processo de aceleração do desenvolvimento econômico, político e social do Brasil.


Aspirações Pela Educação de Tempo Integral no Primário

19 de setembro de 2014
Por: Paulo Yokota | Seção: Cultura, Editoriais e Notícias, Educação | Tags: , ,

No Estado de São Paulo está se verificando uma multiplicação de escolas particulares para o ensino fundamental, de forma que em três anos os alunos matriculados aumentaram em 77%. Os pais dos alunos estão preferindo que seus filhos, ao invés de frequentarem diversos estabelecimentos para completarem a sua educação, estão preferindo as escolas que em tempo integral também proporcionam outras atividades alem das normais. Um suplemento sobre educação do jornal O Estado de S.Paulo fornece informações à respeito, havendo muitos anúncios de escolas que estão proporcionando estes tipos de ensino, que não se resume somente ao ciclo fundamental.

Sempre houve escolas em São Paulo com a fama que qualificavam os seus alunos para superarem os vestibulares para os cursos superiores. Um dos complementos eram os ensinos de língua, que ao invés de estabelecimentos especializados, eram dados junto com os ensinos convencionais. As informações são que muitos alunos pretendem completar as suas formações no exterior. Muitas escolas estão, ao lado do aumento do tempo em que os alunos ficam no estabelecimento, pensam numa formação mais ampla, como aulas para o ensino do cultivo de alimentos que fazem parte do cotidiano das crianças. Os aparelhamentos utilizados também estão se sofisticando, havendo muitos que contam com a informática que também é utilizada pelos alunos, mudando fundamentalmente as técnicas de ensino.

clip_image002

Também existem algumas escolas públicas que estão proporcionando ensino de tempo integral, com muitas localizadas no interior do Estado de São Paulo que são acompanhadas pelos pais mais interessados. Existem até as que efetuam pesquisas em conjunto com entidades de ensino superior, para estimularem os alunos aos trabalhos didáticos mais intensos.

Evidentemente, os pais com formações mais sofisticadas se interessam nas pesquisas das instituições que podem proporcionar um ensino de qualidade para seus filhos. Costumam ser de nível econômico mais elevado, pois estes cursos acabam sendo tendo custos mais elevados. Alguns estão constatando que as públicas também são competitivas com as privadas.

Como existe um exagero na importância atribuída ao nível de aprovação nos vestibulares, muitos pais procuram examinar com profundidade o tipo de ensino, para garantirem aos seus filhos uma formação mais integral, que não seja somente marcado pela ênfase na concorrência.

Existem até pais que escolhem escolas diferentes para seus muitos filhos, considerando as características pessoais de cada um deles. Também a praticidade do que é ensinado, com exemplos dos usos cotidianos acabam sendo aproveitados.

O que se espera é que estes tipos de inovações que começaram em algumas escolas tendam a se generalizar-se pelos ensinos básicos de todas as escolas, começando por Estados mais privilegiados, mas que já existem também em algumas localidades onde os pais estão mais interessados e atualizados.


Destaque Eventual de Acadêmico Brasileiro

14 de agosto de 2014
Por: Paulo Yokota | Seção: Cultura, Editoriais e Notícias, Educação | Tags: , ,

Ainda que uma andorinha não faça o verão, quando um acadêmico brasileiro de matemática como Artur Avila, 35 anos, recebe um prêmio considerado equivalente ao Nobel de Matemática, a Medalha Fields, concedida pela União Internacional de Matemática, mesmo que atualmente ele não esteja trabalhando no Brasil, acaba sendo um evento que deve ser destacado. Na ocasião receberam também a Medalha Fields de 2014 o canadense Martin Haider e a iraniana Maryam Mirzakhani. Ele é pesquisador do IMPA – Instituto Nacional de Matemática Pura e Aplicada, do Rio de Janeiro, e hoje se encontra trabalhando no CNRS – Centro Nacional de Pesquisa Científica, órgão do governo francês, que manifestou regozijo pelo fato, por intermédio do Presidente François Hollande. Ele recebeu a honraria das mãos da Presidente da Coreia do Sul, Park Geun-Hye em Seul. A próxima reunião da União Internacional de Matemática deverá ocorrer no Brasil em 2016.

clip_image002            Artur Avila recebe a Medalha Fields da Presidente da Coreia do Sul, Park Geun-Hye

Ainda que já existam pesquisadores brasileiros que estejam se destacando no cenário internacional pelas suas contribuições relevantes para os avanços científicos, deve-se admitir que o conhecimento médio dos brasileiros, notadamente em matemática, ainda é considerado precário, como constatado em algumas pesquisas comparativas. Mesmo que alguns avanços já estejam sendo registrados.

O que parece indispensável é que a educação fundamental no Brasil permita que os alunos brasileiros tenham conhecimentos equivalentes aos que estão sendo obtidos pelos asiáticos, tanto em matemática como em ciências como um todo.

Os recursos humanos indispensáveis para o desenvolvimento brasileiro exigem que a média da população brasileira esteja qualificada, de forma competitiva, com outros países emergentes, não se restringindo somente a alguns centros de excelência. Ainda que estes também sejam necessários para a formação de quadros especiais que atendam os projetos de grande significado que o país já dispõe.

As notícias sobre as deteriorações das melhores universidades como as sustentadas pelo Estado de São Paulo são alarmantes, mostrando que seus dirigentes necessitam reformular suas políticas, visando menores benefícios próprios, fomentando novas pesquisas como formação de quadros de ponta.


Melhoria da Visão e seus Benefícios

14 de julho de 2014
Por: Paulo Yokota | Seção: Editoriais, Educação, Notícias, Saúde | Tags: , ,

O site do The Economist informa que numa pesquisa efetuada com 20 mil crianças do meio rural chinês constatou-se que 24% delas apresentavam deficiência em um dos olhos e 16% em ambos os olhos, prejudicando os seus aproveitamentos nas escolas. O acesso aos óculos era limitado pelos seus custos como pelas resistências dos seus pais. Os economistas Paul Glewwe, Albert Park e Meng Zhao descreveram num recente artigo, segundo aquela revista, que oferecer a estas crianças óculos gratuitamente promovia o desenvolvimento com as melhorias dos seus rendimentos nas escolas. Eles fizeram pesquisas custeadas pelo governo na Província de Gansu, em trinta e sete cidades, no oeste chinês, metade com o fornecimento gratuito de óculos e metade sem estas providências. Os alunos que receberam os óculos tiveram o ganho equivalente a 0,9 ano de escolaridade.

Também fizeram testes sobre os ganhos em termos de custo benefício, e observaram que os que receberam os óculos gratuitamente tiveram um ganho de 128 yuan por ano, quando diplomados em escolas intermediárias. Todas estas pesquisas foram efetuadas com rigor científico, tendo como elemento de comparação amostras onde os óculos não eram oferecidos. Mesmo sem esta preocupação acadêmica, estão sendo observados benefícios que demonstram as vantagens de providenciar uma adequada visão às crianças, em variados locais.

11027115

Leia o restante desse texto »


Fóruns Estadão Brasil 2018 Sobre Educação

25 de abril de 2014
Por: Paulo Yokota | Seção: Cultura, Editoriais, Educação, Notícias | Tags: , , ,

O suplemento apresentado pelo jornal O Estado de S.Paulo surpreende pela sua oportunidade e qualidade, uma exceção na atual imprensa. Deve contribuir para a reflexão de todos quantos se preocupam com a atual qualidade da educação no Brasil, ainda que muitos esforços de melhorias públicas como privadas já venham sendo efetuadas isoladamente. O ponto mais relevante, na nossa modesta opinião, foi apresentado pelo psicólogo Ricardo Primi que afirmou que “O ideal seria criar uma escola atrelada ao pré-natal e pós-natal. Há necessidade de trabalhar com os pais antes que a criança entre na escola”. Segundo um dos artigos que relata sobre o primeiro painel que mostrou que o ensino começa em casa: “Criar uma espécie de ‘escola para pais’ foi uma das sugestões que mais repercutiu entre os especialistas. De acordo com os debatedores, “a criança precisa chegar preparada para o ensino público, com condições emocionais e habilidades, que sirvam de alavanca para o desempenho escolar”.

Temos insistido neste site que a educação das crianças começa pela imitação dos exemplos dados pelos pais. Ainda que num artigo de Bárbara Bretanha e Valéria França se faça uma comparação entre a situação de um professor coreano e de um brasileiro, parece que caberiam maiores comparações internacionais, notadamente com os países asiáticos que vêm conseguindo resultados mais expressivos, que têm origem nos ensinamentos de Confúcio que determinaram uma alta prioridade para a educação. Sem que toda a sociedade esteja voltada neste sentido, não serão medidas isoladas ou algumas orientações políticas que poderão resultar em mudanças significativas no Brasil. A percepção brasileira da importância da educação já começou, principalmente na população, mas existem muitos esforços que ainda precisam ser efetuados.

KazuEst

Leia o restante desse texto »


A Luta Pela Educação no Paquistão

8 de março de 2014
Por: Paulo Yokota | Seção: Editoriais, Educação, Notícias | Tags: , , ,

 

Por: Paulo Yokota Seção: Educação, Editoriais e Notícias Tags:

Mesmo aqueles que conhecem as lutas mais duras nas regiões remotas do Brasil, acabam ficando impressionados como as travadas no Paquistão pela Humaira Bachal, que insiste em ensinar crianças apesar de lutar contra as tradições pelas quais as mulheres devem se casar cedo para produzir filhos e não estudar. Constatando que pessoas morriam nos seus arredores porque não eram capazes de ler a validade de um remédio ou seus parentes não tinham capacidade de encaminhar uma mulher em trabalho de parto para um hospital, ela vem se empenhando desde a adolescência ao ensino. Depois de lutas heroicas, até contra o seu pai que a agredia e a sua mãe porque permitia que ela, escondida, frequentasse uma escola secundária, hoje dirige o Dream Model Street School que conta com 1.200 meninos e meninas estudando nos arredores de Karachi, no Paquistão. Ela só obteve a autorização do seu pai para continuar os estudos por ter aceitado casar com a pessoa determinada por ele.

Nos confins do Amazonas, no Brasil, tive que lamentar porque nos casebres construídos no meio da mata para atender os filhos dos colonos era uma professora a pessoa que mal sabia escrever o seu nome, cuidando das crianças que aprendiam o mínimo da vida brincando. O sonho de que em escolas primárias espalhadas pelo Brasil contar-se hoje com professoras formadas em cursos normais ainda está longe de ser atingido em muitos lugares do país. Lamentável realidade, que não é conhecida dos que moram nos grandes centros urbanos, e que ainda se repetem nas regiões mais pobres deste Brasil, inclusive no meio rural. Mas não se conta com discriminações contras às mulheres que ainda perduram em alguns outros países, inclusive asiáticos.

Pakistan School From Scratch

Humaira Bachal ensina crianças em sua Fundação

Leia o restante desse texto »


Importância da Educação no Brasil

25 de fevereiro de 2014
Por: Paulo Yokota | Seção: Editoriais, Educação, Notícias | Tags: , , ,

Apesar de haver quase uma unanimidade no Brasil de hoje que a educação é a chave para a melhoria do país, ainda não se consegue apontar os caminhos objetivos para a sua melhoria, ainda que quantitativamente esteja se avançando, imaginando-se que isto já seria um bom começo. As deficiências básicas dos recursos humanos brasileiros são constatadas pela incapacidade de pensar de muitos, até nas coisas mais simples. As operações básicas de aritmética só conseguem ser feitas com os usos dos calculadores eletrônicos. As redações parecem estar piorando com a disseminação da internet e das redes sociais que utilizam formas sintéticas de comunicação. Os conhecimentos elementares de física e química parecem deficientes quando comparados com outros jovens do mundo. Sem falar nas limitações das formações humanísticas.

Muitas reivindicações nas manifestações públicas mostram que para muitos basta desejar, sem levar em considerações sobre as limitações dos recursos disponíveis ou a necessidade de se produzir antes de se distribuir e consumir, sendo imperativo se poupar uma parte para que haja um aumento da eficiência na produção no futuro. Os bens que deveriam ser utilizados para atender as demandas de melhores transportes são simplesmente destruídos, como se houvesse uma mágica que permitisse a sua multiplicação do nada. Parece generalizada a consciência de muitos direitos e do dever do Estado de providenciá-los, não se conseguindo incutir que só se pode distribuir o que o governo arrecadou de outros. Não se consegue transmitir que a natureza no Brasil é dadivosa, e que se plantando tudo dá, mas que é preciso plantar…

KazuEdu

Leia o restante desse texto »