Tentando aproximar a Ásia da América do Sul e vice-versa

Estudos de Alternativas de Política Econômica na China

7 de outubro de 2013
Por: Paulo Yokota | Seção: Economia, Editoriais, Notícias, Política, webtown | Tags: , , ,

Um artigo publicado por Bob Davis e Lingling Wei no The Wall Street Journal sobre os estudos efetuados na China sobre as alternativas de política econômica mostra parte da realidade possível de ser conhecida. Aqueles que são mais experientes nestas análises sabem que todos os processos de formulações de alternativas são complexos, não podendo ser apresentado numa forma simplista que possa ser facilmente entendida pelos leitores, até por que ainda se encontra num processo de elaboração. No caso de um país como a China, com muita centralização do poder no Partido Comunista, esta falta de clareza fica mais evidente até o momento da divulgação da decisão já tomada. Mas não se deve subestimar como se as autoridades e os melhores formuladores de políticas estivessem desconhecendo os problemas existentes na China como no resto do mundo.

O presidente Xi Jinping teria apontado Liu He ao US National Security Adviser, e Tom Donilson, quando da última reunião em maio no summit entre a China e os norte-americanos, como o responsável pelos estudos que estão sendo efetuados, visando a apresentação para uma reunião fechada do Partido, com seus 450 membros mais elevados no próximo mês de novembro. Até a sua aprovação, nada do que está sendo estudado será revelado, mas certamente as autoridades chinesas estão cientes das preocupações com a desaceleração do crescimento chinês, que já está em 7,5% ao ano, e pode chegar a 4% anual, segundo o Fundo Monetário Internacional. Liu He é formado na Renmin University, com estudos posteriores na Seton Hall University e na Harvard University, membro do Central Committee e Diretor da National Development and Reform Comission, segundo o China Vitae.

C329N0~1

Liu He

Leia o restante desse texto »


Comprovações Que Dietas Saudáveis Beneficiam Cardíacos

6 de dezembro de 2012
Por: Paulo Yokota | Seção: Editoriais, Gastronomia, Notícias, Saúde, webtown | Tags: , ,

O que já era aceito com base em diversas pesquisas menores foram confirmados por uma nova e grande envolvendo 32 mil pacientes, em 40 países, que durou 5 anos, financiado pela empresa farmacêutica alemã, Boehringer Ingelheim. Os resultados foram publicados no jornal médico Circulation, da American Heart Association, e divulgado num artigo de Jennifer Corbett Dooren, do The Wall Street Journal, informando que muitos pacientes assumem frequentemente que a medicação é suficiente para a repetição de problemas cardíacos e derrames. O relatório divulgado nesta última segunda-feira mostra que, além das medicações, dietas saudáveis, aquelas que recomendam frutas, vegetais, grãos integrais, nozes, e consumos de peixes, reduzem em 35% a repetição dos problemas.

Embora se aceite que estas dietas são ferramentas poderosas para a prevenção deste males, pouco se sabia sobre o impacto sobre as pessoas que já tinham estas doenças. Eles também mostraram que 28% dos pacientes são menos propensos a desenvolver insuficiências cardíacas congestivas, 14% menos propensos a terem ataques cardíacos adicionais e 19% menos possibilidade de ter um acidente vascular cerebral.

clip_image001clip_image001[6]

clip_image001[8]clip_image001[10]

São sugeridos como dietas saudáveis os consumos de quatro porções semanais de nozes ou sementes; pelo menos duas porções de peixes; quatro xícaras de frutas e verduras diárias; três porções de grãos integrais por dia, além de limitar a ingestão de bebidas com sódio ou açucarados. Recomenda-se também a limitação do consumo de carne processada para um máximo de duas porções por semana, segundo o artigo.

Existem médicos que acreditam que as pessoas que utilizam dietas saudáveis são também as que exercitam mais e adotam também outros procedimentos considerados saudáveis, não os relacionando somente com a alimentação. Os medicamentos receitados pelos médicos não devem ser suspensos.

É confortante saber que estas dietas saudáveis são também preventivas, em alguma medida, para a repetição dos problemas, pois muitos pacientes procuram efetuar os exercícios recomendados e utilizar os medicamentos receitados pelos médicos, mas é natural que estão mais preocupados com novos acidentes.

A pesquisa envolveu uma amostra bastante grande e ampla, pois algumas etnias possuem maiores propensões para estes problemas circulatórios, notadamente quando chegam a determinadas idades. Outros cuidados são recomendados, como o controle do peso que parece esquecido, com o consumo exagerado de produtos alimentícios industrializados.

Muitos estudos estão recomendando alimentos que possuem cores marcantes que contêm substâncias saudáveis para a saúde humana. E muitos estudos científicos estão recuperando alimentos que eram consumidos por alguns povos como os maias, astecas e incas. Também a ampla biodiversidade brasileira está merecendo muitos estudos que comprovam elementos benéficos para a alimentação saudável, entre eles o chocolate amargo, o açaí, bem como outras sementes como a castanha do Pará.