Tentando aproximar a Ásia da América do Sul e vice-versa

Turismo na Ilha Grande e Gastronomia com Shin Koike

30 de setembro de 2011
Por: Paulo Yokota | Seção: Editoriais, Gastronomia, Notícias, Saúde, Turismo | Tags: , , , ,

Shin Koike, consagrado chef do restaurante Aizomê que apresenta uma esmerada cozinha japonesa contemporânea em São Paulo, que conta com grande prestígio merecido da crítica e do público. Ele comanda um original programa turístico, cultural e gastronômico na famosa Ilha Grande, em Angra dos Reis, Rio de Janeiro, para um número limitado de participantes. O evento conta com o apoio do “Do Cultural”, de Jô Takahashi, e informações detalhadas estão disponíveis no [email protected]@group.com ou pelo telefone 11-5574-0045, que podem ser utilizados para as reservas.

Muitos devem saber que esta paradisíaca Ilha Grande tem um passado rico em eventos históricos, além de contar com sua excepcional beleza. Teve dois presídios desde a época do Império que permitiram a preservação de sua exuberante natureza. Entre outras figuras políticas famosas, lá ficou preso Graciliano Ramos que escreveu “Memórias do Cárcere”.

Dista cerca de 100 quilômetros da Ilha Anchieta, onde membros do Shindo Renmei ficaram retidos, e tudo indica que sua beleza natural foi conservada intacta pela existência dos presídios cujas ruínas são também motivos de atração dos turistas. Informa-se que muitos descendentes de japoneses viveram nesta região da pesca da sardinha e produção do chamado “dashí”, que é seco, para a produção de molhos para o “missogiru”, a sopa de missô, principalmente quando ainda não se dispunha de produtos melhores importados. Alguns dos seus descendentes se tornaram proprietário das muitas pousadas existentes na Ilha.

Shin Koike, chef fusion. Foto divulgaçãoazm_01_01_72

SANY0008SANY0030

Chef Shin Koike,que preparará pratos da cozinha contemporânea japonesa na Ilha Grande

Todos sabem que este litoral brasileiro ganhou um forte impulso com a construção da rodovia Rio-Santos que serpenteia por áreas onde as montanhas chegam ao mar, mantendo parte da Mata Atlântica, formando mil baías onde a viagem por elas já é um passeio imperdível, um colírio para os olhos, recebendo a agradável brisa marítima e o ar puro que não pode ser mais sentido nas grandes metrópoles.

Os participantes podem chegar facilmente a Angra dos Reis, cujas usinas nucleares são seguras, havendo conduções especiais preparadas para tanto, bem como acomodações adequadas na pousada Nautilius. Passeios de barco poderão ser efetuados ao redor da Ilha Grande ou pela Angra de rara beleza. Está prevista uma visita à criação de peixes beijupirá e de vieiras mantida pelos proprietários da pousada a ser utilizada.

Na parte gastronômica, está sendo preparado um almoço à sombra dos coqueiros, com grelhados e receitas com inspirações asiáticas que já dá água na boca. No jantar, será servido um bufê francês numa embarcação de nome Flutuante (nem todos sabem que Shin Koike, que trabalhava num restaurante francês em Tóquio, tem experiência que o qualifica para uma fusion competente na sua arte). Alguns dos seus famosos pratos da contemporânea cozinha japonesa serão oferecidos, com frescas matérias-primas locais, dentro do paradisíaco ambiente desta conhecida Ilha tropical. Um programa único numa ambientação rara.

Certamente, o evento será inesquecível para todos os participantes, uma oportunidade fora de série para usufruir o que melhor se pode dispor nas proximidades de São Paulo e Rio de Janeiro, em Angra dos Reis, equiparável ao que existe de mais alto nível em todo o mundo, com um toque de convivência estreita com interessantes participantes numa ambientação incomparável.


Festival de Saúde e Gastronomia

18 de março de 2010
Por: Paulo Yokota | Seção: Gastronomia | Tags: , , , ,

tanahashi Todos que se preocupam com a alimentação saudável, onde a gastronomia se confunde com o bem-estar geral não só dos seres humanos como do meio ambiente que os cercam, terão no Brasil um verdadeiro festival de boas notícias.

De um lado, como noticiado até numa entrevista exclusiva do chef Toshio Tanahashi para a repórter Cintia Betolino, do suplemento Paladar do O Estado de S.Paulo de hoje, “Chef zen ouve a voz das plantas”. Ele visitará o Brasil entre 22 e 29 de março, cumprindo um intenso programa para divulgar o seu Shojin Ryori, uma culinária que tem como filosofia uma forte e harmoniosa relação da gastronomia com a natureza, com base budista. Fará dois jantares demonstração no Kinoshita.

Leia o restante desse texto »


A Cerâmica na Culinária Oriental

4 de março de 2010
Por: Paulo Yokota | Seção: Gastronomia | Tags: , ,

Na culinária oriental, sobretudo na japonesa, a cerâmica é fundamental.  Pode ser que os apreciadores nem sempre notem, mas a variedade da cerâmica de boa qualidade que é utilizada valoriza os pratos na sua apresentação.  E nós comemos também com os olhos.

O suplemento Paladar, do jornal O Estado de S.Paulo, traz uma interessante matéria elaborada pela jornalista Cíntia Bertolino com o título “Caixa de joias para servir comida”, referindo-se a feliz combinação do trabalho da ceramista Kimi Nii e do chef Shin Koike, do Aizomê.

Leia o restante desse texto »


Influências das Culinárias Asiáticas no Brasil

19 de janeiro de 2010
Por: Paulo Yokota | Seção: Gastronomia | Tags: , , , , , | 4 Comentários »

Acentuou-se o intercâmbio das boas culinárias de todo o mundo com a globalização. Vamos destacar dois exemplos interessantes de chefs que procuram fazer uma boa culinária, atualizada, em São Paulo, com preços razoáveis, seguindo os preceitos para a vida atual. Um é o restaurante Cosí, do chef Renato Carioni, que é italiano. O outro é o restaurante Aizomê, do chef Shin Koike, que é japonês. Ambos são jovens amigos e intercambiam conhecimentos.

Todos sabem que o macarrão veio da China, mas virou um dos ingredientes principais da culinária italiana, que Renato Carioni aperfeiçoou em Florença, na famosa Enoteca Pinchiorri. Além de produzir a massa leve que utiliza no próprio restaurante, preparando uma culinária saudável, ele introduziu uma grelha tipo japonesa, muito utilizada para os peixes no Japão, na qual o fogo vem de cima. É grelhado mesmo, e não frito na chapa, como na maioria dos restaurantes no Brasil. Isto evita que eventuais gorduras caiam na brasa, arruinando o sabor dos grelhados.

Leia o restante desse texto »