Tentando aproximar a Ásia da América do Sul e vice-versa

2011 Mais Zen

5 de Janeiro de 2011
Por: Paulo Yokota | Seção: Cultura | Tags: , ,

Num artigo da Natália Garcia, constante do site da IG, a monja Coen concede uma entrevista que acabou sendo longa, por causa de um incidente com o seu cachorro que acabou ferindo a jornalista, que foi levada a um hospital para o devido cuidado. Nesta situação inusitada, Natália Garcia notou que a monja mantinha uma atitude zen, sempre sorridente como é do seu feitio, transformando em prática os seus ensinamentos. O assunto da entrevista era a visão zen da passagem do ano, quando a Coen explica que no Hemisfério Norte é um marco para a preparação do fim do inverno e início da primavera, com todo o renascimento da vida. Os japoneses, por exemplo, fazem uma faxina completa na casa no final do ano, como uma forma de renovação, dentro da transitoriedade da vida. A monja Coen já foi retratada parcialmente neste site.

No Extremo Oriente acaba havendo uma fusão de contribuições de religiões como o taoísmo, xintoísmo, budismo dentro de uma só cultura, ficando difícil de distinguir o que é de cada origem. Mas, no geral, a passagem do ano é muito comemorada, havendo em alguns estabelecimentos solenidades com a limpeza completa dos equipamentos que permitiram o trabalho durante o ano, havendo uma colocação de alimentos como manifestação de agradecimento de sua contribuição. As coisas que nos cercam são consideradas iguais aos seres animados.

monja coen

Existem também cerimônias que marcam o início do ano, quando se apelam aos deuses por um ano próspero, reconhecendo que os seres humanos são limitados, não podendo comandar tudo, e dependentes da natureza. São hábitos que estão sendo abandonados como as visitas aos parentes, amigos e a todos que prestaram um favor durante o passado, e que se prolongará para o futuro.

Como no passado não havia férias regulares nos empregos, o início do ano era aproveitado com algumas folgas mais longas, que eram utilizadas para viagens à terra natal por aqueles que estavam trabalhando nas grandes metrópoles.

Atualmente, muito asiáticos que perderam seus laços familiares aproveitam este período do ano para efetuarem turismo, principalmente para o exterior, sobrecarregando tanto os aeroportos como os meios de transportes.

São todas formas de renovar as energias para as labutas de um novo ano de trabalho, mas que sejam feitas aproveitando as lições como da monja Coen, sem estresse desnecessário, aproveitando tudo que a vida nos pode proporcionar em matéria de qualidade de vida, pela sua prática, sempre se lembrando da transitoriedade a que estamos sujeitos.



Deixe aqui seu comentário

  • Seu nome (obrigatório):
  • Seu email (não será publicado) (obrigatório):
  • Seu site (se tiver):
  • Escreva seu comentário aqui: