Tentando aproximar a Ásia da América do Sul e vice-versa

Difícil Situação do Ministro da Economia

25 de setembro de 2020
Por: Paulo Yokota | Seção: Economia e Política, Editoriais e Notícias | Tags: , , , ,

A imprensa informa que o ministro de Economia Paulo Guedes acabou sendo retirado às pressas da entrevista coletiva, quando se referia ao fim do auxílio emergencial que vem, com algumas dificuldades, sendo concedida para parte da população brasileira. A medida seria suspensa para não aumentar o déficit público, mesmo que se retire parte dos recursos hoje destinados ao chamado sistema S, que vêm sendo alocados para muitas finalidades, entre outros de treinamento de recursos humanos.

Nada que possa afetar o atual prestígio do governo e do presidente Jair Bolsonaro é admitido por sua equipe. O ministro do Governo, general Luiz Eduardo Ramos, e o líder do governo na Câmara Federal, Ricardo Barros, aceleraram a saída do ministro Paulo Guedes da entrevista à clip_image002imprensa. Isto é uma das evidências que Paulo Guedes é considerado por muito pouco ajustado à orientação atual do governo, não se sabendo até quando ele vai resistir a estes desconfortos.

Cena onde o ministro Paulo Guedes é retirado da entrevista que dava à imprensa, junto com outras autoridades

Leia o restante desse texto »


Subestimando o Presidente Jair Bolsonaro

23 de setembro de 2020
Por: Paulo Yokota | Seção: Editoriais e Notícias | Tags: , , , , , , | 2 Comentários »

Se muitos não concordam com o presidente Jair Bolsonaro e os que lhe são fiéis, a pior posição que eles adotam é subestimar as suas capacidades eleitorais. As pesquisas de opinião pública disponíveis continuam informando, para desespero dos seus adversários, que ele continua numa posição invejável e ainda não apresenta indícios que deve piorar, mesmo no quadro adverso em que se encontra o Brasil. Seus injustos ataques aos índios e caboclos pelos incêndios que se multiplicam pelo país, como no seu pronunciamento na ONU, são basicamente contra os que não votam nas próximas eleições, inclusive estrangeiros. É usual que quando existem dificuldades elas sejam atribuídas aos inimigos de outros países, como Dclip_image002onald Trump tem feito com os chineses, o que sensibiliza muitos eleitores. Os beneficiados pelo governo brasileiro são os grileiros de terras, madeireiros e mineradores clandestinos, que mobilizam grupos de eleitores para Bolsonaro, em defesa dos seus interesses pessoais. Tudo muito simples e primário, de fácil compreensão até para os menos informados.

Presidente Jair Bolsonaro fala na Assembleia da ONU por vídeo

Leia o restante desse texto »


Sequenciamento Genético de Brasileiros

23 de setembro de 2020
Por: Paulo Yokota | Seção: Editoriais e Notícias | Tags: , , ,

Um artigo publicado no Estadão, elaborado por Fabiana Cambricoli, informa que pesquisadores da Universidade de São Paulo encontraram entre 1.171 idosos brasileiros, que já vêm sendo estudados há tempos, dois milhões de novas variantes do chamado sequenciamento genético, indicando uma miscigenação racial acima do esperado, quando comparados às populações de outros países. A explicação foi dada pela geneticista Mayana Zatz, diretora do Centro de Pesquisa sobre o Genoma Humano e Células-Tronco – CEGH – CEL da USP.

Se de um lado isto permite o diagnóstico de doenças e medicamentos recomendados, de outro isto sugere que se criou a base da criatividade dos brasileiros, que se manifesta, por exemplo, na música que se destacou em todo o mundo. Como as pesquisas foram feitas pelos interessados em medicina, sugerem que os medicamentos ajustados ao genoma destes brasileiros podem proporcionar resultados mais expressivos. Mas, para efeito cultural, há possibilidades de maior criatividade com esta miscigenação. Os atuais meios eletrônicos, com clip_image002[1]computadores nas nuvens, permitem muitos tipos de pesquisas em variados campos do conhecimento humano utilizando estes dados e outros semelhantes.

Foto constante do artigo publicado no site do Estadão de uma pesquisa que já vem sendo feita há anos, que merece ser lido na sua íntegra

Leia o restante desse texto »


Danos do Coronavírus no Setor Hospitalar Brasileiro

23 de setembro de 2020
Por: Paulo Yokota | Seção: Economia e Política, Saúde | Tags: , , ,

Apesar das medidas de emergência do governo federal que procuram atender parte da população afetada pelo coronavírus, a recessão na economia e as dificuldades de toda ordem para os menos privilegiados dos brasileiros, o que se observa até o momento é uma possível redução dos trabalhos em alguns setores relacionados com a saúde. Os planos de saúde parecem sofrer uma diminuição dos seus associados, os hospitais aparentam estar com movimentos reduzidos em alguns setores da saúde, muitos pacientes que precisam ser atendidos estão receosos de procurar os hospitais, ainda que tenham outras moléstias também graves.

São limitados os setores de saúde privados que estão sobrecarregados de tarefas. Na média, além de contarem com menos recursos para as suas necessidades fundamentais, muitos pacientes parecem receosos de estarem sujeitos aos riscos de contaminação com a atual pandemia. Dentro do possível estão evitando os hospitais, salvo em casos extremos. Muitos hospitais estão com setores sem intensos movimentos, ressalvadas as emergências inevitáveis.

Os anúncios dos hospitais e planos de saúde parecem ter aumentado na imprensa. Os hospitais públicos aparentam estar sobrecarregados, mas sempre que providências tenham que ser tomadas, os pacientes parecem receosos com os riscos de contaminações e as informações verbais indicam que, na média, os hospitais privados estão com mais leitos desocupados. Numa recessão econômica, dificilmente a redução do movimento é uniforme, mas nota-se que os setores com custos menores estão menos prejudicados. As alimentações, por exemplo, passaram pelo aumento dos chamados “deliveres”, normalmente num padrão mais simples com preços mais baixos.

Sempre existem honrosas exceções como em qualquer outro setor da economia durante uma recessão. Como a previdência social não consegue uma velocidade desejada nos seus trabalhos, em alguns setores do governo formam-se lamentáveis filas daqueles que não conseguem ser atendidos pelos telefones, notadamente quando as documentações exigidas não estão completas e atualizadas.

clip_image002

                                 Hospital filantrópico Santa Marcelina, zona leste de São Paulo

Nesta situação, os hospitais filantrópicos que já estavam sobrecarregados, apesar de serem considerados complementares ao SUS – Sistema Único de Saúde, não contam com todas as condições para atender os necessitados. Muitos voluntários procuram se organizar para atender os menos privilegiados, com a máxima boa vontade e com ajudas eventuais de algumas empresas, inclusive no setor complexo da saúde.

Não seria desejável que as autoridades abusem nos seus discursos, quando milagres nos aspectos que envolvem a economia, são extremamente raros.


Pesquisas Sobre a Produção do Trigo no Brasil

23 de setembro de 2020
Por: Paulo Yokota | Seção: Editoriais e Notícias | Tags: , , ,

Um artigo publicado na Folha de S.Paulo por Mauro Zafalon, que costuma escrever sobre produtos agrícolas no Brasil, trata das pesquisas da Embrapa para produzir o trigo de diferentes espécies ajustadas às condições existentes em diversas regiões brasileiras. Os que conhecem um pouco da história agrícola brasileira sabem que a Embrapa foi relevante na introdução dos conhecimentos da Revolução Verde a partir dos anos 1960, contribuindo na introdução de novas técnicas que aumentaram sensivelmente a produtividade de muitos produtos agrícolas no Brasil. De importador destes produtos, o país tornou-se um fornecedor relevante no mundo, com destaque para a soja. Já existem bases seguras brasileiras que aproveitadas podem proporcionar avanços seguros nesta área.

Poucos brasileiros sabem que o Brasil produz, notadamente no Mato Grosso do Sul, é o trigo sarraceno, conhecido pelos japoneses como “soba”, que saudável e até exportado para o Japão. As tecnologias hoje conhecidas permitem que estes cereais de origem das regiões tclip_image002emperadas sejam adaptadas para produção no Brasil Central e até no Nordeste. Osvaldo Vasconcellos Vieira, que trabalha neste setor da Embrapa, acredita nesta viabilidade. Segundo ele, o trigo brasileiro pode exigir menos tempo para a sua produção e é resistente aos fungos que o afeta.

Trigo pesquisado pela Embrapa para se tornar resistente aos fungos que o afeta

Leia o restante desse texto »


Lâmpada Japonesa Para Eliminar o Coronavírus

23 de setembro de 2020
Por: Paulo Yokota | Seção: Editoriais e Notícias | Tags: , ,

Existem muitas pesquisas para se chegar às tecnologias que ajudam a eliminar o vírus em ambientes muito utilizados. A empresa japonesa Ushio, que trabalha com equipamentos de luz, chegou numa parceria com a Universidade de Columbia, dos Estados Unidos, a um aparelho para desinfecção de espaços muito utilizados, como conduções, elevadores, escritórios que estejam sem humanos no momento. Uma lâmpada UV Care 222 usa raios uclip_image002ltravioletas de comprimento de 222 nanômetros, mas os seres humanos não podem estar no ambiente no momento, por provocar defeitos genéticos cancerígenos e outros danos.

A nova lâmpada de raios ultravioletas com ondas de 222 nanômetros da Ushio em foto constante do artigo distribuído pela agência Kyodo

O aparelho elimina 99% dos vírus em seis a sete minutos, numa área de 3 metros quadrados, cerca de 2,5 metros de distância da lâmpada.

A Ushio associou-se à Toshiba Lighting no projeto e um estudo efetuado por terceiros da Universidade de Hiroshima, Japão, comprovou a eficácia da nova lâmpada, que deverá estar no mercado em janeiro próximo, inicialmente para instituições médicas.


Utilização Racional da Água

23 de setembro de 2020
Por: Paulo Yokota | Seção: Editoriais e Notícias | Tags: , , , | 2 Comentários »

Apesar de o Brasil ser um dos países no mundo que mais dispõe de água potável, não se conseguiu ainda formas racionais do seu uso de forma generalizada, a ponto de sofrer com os violentos incêndios que atingiram nossas florestas. Quando se imagina que o uso da água pode ser gratuito, ninguém vai se empenhar para investir na sua custosa e eficiente disponibilidade, ficando sujeito às chuvas que ainda não se conseguiu serem controladas.

Acompanhando um engenheiro agrícola japonês, fomos observar as irrigações feitas ao longo rio São Francisco. Ele constatou que estávamos usando água demais, algo em torno de 2.000 ml por ano para irrigação, visando a plantação de uva de qualidade para a produção de vinho, imagequando bastava algo em torno de 300 ml ano, como feito na Borgonha, na França, em terreno pedregoso. Para a produção de um bom vinho, as hastes são estranguladas com arames, para reduzir as seivas a chegarem aos frutos. O excesso do uso da água no Vale do São Francisco tendia a provocar a formação de placas em terrenos salinos, cuja eliminação era extremamente custosa.

Produção de uva irrigada no Vale do São Francisco está usando mais água do que o necessário

Leia o restante desse texto »


Superando as Limitações Sempre Existentes

21 de setembro de 2020
Por: Paulo Yokota | Seção: Editoriais e Notícias | Tags: , , , , ,

Ao longo do século XX e do atual, muitos são os exemplos das condições adversas que foram superadas pelas criatividades dos diversos povos. Os artistas negros que se destacaram no jazz, mas eram perseguidos nos Estados Unidos, foram para a França, onde conseguiram projeção mundial. Com o fascismo e o nazismo, muitos judeus que eram perseguidos migraram para os Estados Unidos para ajudar no seu desenvolvimento.

image

I               DH – Índice de Desenvolvimento Humano do PNUD, para 2020

O Brasil, com seu vasto e rico território e sua população miscigenada com diversas imigrações, teria as condições para não depender exageradamente do atual governo para o seu desenvolvimento, como já conseguiu no passado. No entanto, continua com esta dependência do governo. Se contasse com um governo razoável, sua recuperação poderia ser mais rápida com a ajuda de sua população e adequada integração no mundo. Necessita-se ainda melhorar o seu sistema político de forma que seus eleitores possam colocar as posições de comando do país nas mãos daqueles que estejam preparados para pensar na coletividade e na distribuição dos benefícios do desenvolvimento com razoável equidade. Concentrando-se somente num grupo restrito que dê suporte ao governo, a sustentabilidade futura do processo aumenta riscos de eventuais rupturas.

Um diagnóstico razoável de sua situação presente seria desejável, para permitir a elaboração de um plano mínimo que deixe claro os objetivos que estão sendo perseguidos, com a escolha dos instrumentos a serem utilizados e a proposta de uma estratégia mínima. O desejável seria que isto ficasse claro no início do mandato, melhor ainda se fosse durante a campanha eleitoral. Alterações constantes das prioridades deixam a população e parceiros no exterior perplexos, notadamente quando mudanças profundas ocorrem em todo o mundo. As naturais aspirações dos governantes por reeleição são compreensíveis, mas sem saber o que se persegue, mesmo os que desejam ajudá-los ficam inseguros, num mundo onde os riscos aumentaram e muitas alternativas estão colocadas por outros países.

Mesmo que existam preferências ideológicas nos diversos governos, na maioria dos países o pragmatismo vem prevalecendo diante de casos concretos que se apresentam. Naturalmente, a rigidez em muitas posições reduzem as possibilidades de aproveitamento das oportunidades que surgem e que não são muitas. No fundo, nem tudo é branco ou preto, mas existe uma ampla gama de tons de cinza intermediários que podem ser escolhidas. Muitas vezes se faz o que é possível no governo, e não o que seria desejável.

Seria conveniente que o Brasil fizesse suas opções com a urgência possível, pois muitos países já as estão fazendo. O país já teve maior importância no cenário internacional, e mesmo contando com condições para um desenvolvimento mais acelerado, vem perdendo posições importantes, com sua população passando por situações precárias, que mal permitem a sua sobrevivência.


Experiências Concretas Com a Covid-19 em São Paulo

21 de setembro de 2020
Por: Paulo Yokota | Seção: Editoriais e Notícias, Saúde | Tags: , ,

Recebi do meu dentista a informação de que ele teria feito testes para verificar se estaria contaminado pela Covid-19 e não estando ficou tranquilo. Providenciei com um experiente imagemédico conhecido de longa data, e dirigente de uma entidade que reúne hospitais de São Paulo, as receitas para a realização destes exames para mim e minha esposa, que somos idosos e já afetados por outras moléstias tratadas que nos colocam no grupo de risco.

Imagem da Covid-19, segundo cientistas

Foram nos recomendados os testes de Sorologia Ig M e Ig G para SARS COV 2 (Covid-19) que nós fizemos. Estes são efetuados com a retirada de sangue. O Ig M indicaria a presença atual do vírus nos pacientes que estariam sendo combatidos pelos antivirus, e o Ig G a presenças passadas do vírus, com os antivírus atuando no momento. O meu deu como resultados:

Anti-SARS-Cov-2, Anticorpos Ig M – NÃO REAGENTE O,6 UA/mL e Anticorpos Ig G – REAGENTE 2,1 UA/mL. Segundo a tabela anexa a estes resultados, o reagente seria igual ou superior a 1,1 UA/mL. Os resultados da minha esposa deram ambos NÃO REAGENTES.

Havia uma nota anexa informando que estes dados não estão totalmente estabelecidos pelos atuais conhecimentos científicos que continuam evoluindo, havendo necessidade de, a critério clínico, repetição da sorologia em 20 dias. Também efetuei estas repetições que confirmaram os mesmos resultados anteriores, que confirmam que não estou com estes vírus e os antivírus continuam em ação. Trata-se de um caso em que os médicos denominam assintomáticos, que não apresenta nenhum indício de contaminação.

imagePara os leigos, estes resultados indicariam contato com o vírus no passado, não se sabendo claramente quando, havendo já a ação dos anticorpos. Os da minha esposa deram ambos não reagentes. Como existem outros métodos para estes tipos de testes, foi nos recomendado que fizéssemos o chamado RT por PCR, que retira materiais das narinas e da garganta para exames.

Ilustração da retirada de material da narina e garganta

Depois de transcorridos os dias recomendados, os exames foram repetidos e todos deram resultados coerentes. Ou seja, de alguma forma, fui infectado no passado, não tendo mais os vírus atualmente, com os anticorpos em ação, estando imune, não se sabendo ao certo por quanto tempo. Pelo que se sabe cientificamente, é que existem muitos tipos de vírus semelhantes, dos mais agressivos aos menos violentos, que atuam sobre os pacientes, sendo que os que têm doenças respiratórias sejam os mais vulneráveis.

Diabetes, obesidade e outras moléstias, além da idade avançada, são também fatores que aumentam a possibilidade de se contrair a Covid-19. As recomendações da Organização Mundial de Saúde continuam sendo de se evitar grandes aglomerações de pessoas, uso de máscaras protetoras e uso constante de álcool gel, que continuam sendo eficientes para reduzir possíveis contágios.

Todos estão conscientes que se desenvolve um grande esforço mundial para se conseguir vacinas eficientes para a Covid-19, mas os trabalhos sérios costumam ser cuidadosos, com grandes amostras científicas, contando também com um grupo para servir de referência para comparação dos resultados, como é recomendável em qualquer trabalho criterioso do ponto de vista das técnicas estatísticas.

O dramático é que alguns destes vírus sofrem mudanças ao longo do tempo, mesmo com a eliminação de muitos. Os mais resistentes aos métodos de seu combate acabam se multiplicando, como ocorre em infecções hospitalares. Alguns lugares estimulam as renovações do ar em ambientes fechados, mas nem sempre se cuida dos filtros dos aparelhos de ar-condicionado, que acabam se tornando perigosos para a multiplicação de vírus.

A humanidade já passou em épocas mais distantes por pandemias como a atual. Existem cientistas que aventam outras novas no futuro, para as quais se espera que todos estejam bem preparados, com menos afetados e lamentáveis mortes. Como existem diferenças significativas nos resultados entre países, espera-se que todos tenham a humildade de adaptar o que funcionou melhor e dependem muito da consciência da população local.


Café do Vietnã Superou o do Brasil no Japão

19 de setembro de 2020
Por: Paulo Yokota | Seção: Editoriais e Notícias | Tags: , , , | 2 Comentários »

Todos já sabiam que o Vietnã já era o segundo produtor de café no mundo, ultrapassando a Colômbia, apesar de não ser um fornecedor tradicional no mundo por muitas décadas. Agora, com o coronavírus, o Japão aumentou o consumo de café instantâneo, que utiliza o café do tipo robusta e o Vietnã superou o café brasileiro naquele mercado, segundo artigo publicado clip_image002no Nikkei Asian Review e reproduzido no Valor Econômico. Espera-se que as autoridades brasileiras tomem medidas para manter o mercado japonês de café tipo arábica, mais nobre e destinado à produção do café tradicional.

O café do tipo robusta cotado em Londres, usado para a produção do café instantâneo, cujo consumo está aumentando no Japão, como consequência do coronavírus

Leia o restante desse texto »