Tentando aproximar a Ásia da América do Sul e vice-versa

As Mulheres Asiáticas

31 de Janeiro de 2010
Por: Paulo Yokota | Seção: Cultura | Tags: , , , | 1 Comentário »

Oliveira Lima escreveu que as sogras japonesas são as mais terríveis no mundo. Certamente, no período Meiji, elas, praticamente, escravizavam muitas noras, que deixavam as casas dos pais e iam morar nas casas dos esposos, vivendo com a família dele.

Mas o conceito comum entre os ocidentais é que as mulheres, principalmente as japonesas, são submissas, andando atrás dos seus maridos, submetendo-se aos seus caprichos. Ledo engano, sem nenhum demérito a elas.

Até recentemente, muitas das esposas, no Japão, cuidavam de todos os recursos da família. Assim, os assalariados entregavam mensalmente todos os seus ganhos para elas, que tinham a palavra final sobre o destino destes recursos. Elas é que cuidavam da administração da casa, como da educação dos filhos, ficando responsável pela continuidade das famílias. Aparentavam submissão, mas eram as que realmente decidiam sobre os aspectos fundamentais de sua sociedade.

Hoje, em muitos países asiáticos, as mulheres continuam se destacando. Na China, onde no passado as mulheres tinham seus pés mutilados para não fugirem dos seus maridos, que podiam ter muitas esposas e concubinas, quando eram abonados, foi onde surgiu as mais poderosas ministras de Estado.

Sempre se ouve falar de chefes de Estado mulheres nas Filipinas. As mulheres são as melhores colocadas nos concursos para ingresso nas grandes organizações na Coreia e até o Japão a ascensão delas na carreira está se acelerando, havendo as chamadas “woman career”, as que não se casam e se dedicam para o trabalho.

Nas grandes universidades norte-americanas são destaque as estudantes asiáticas, que se dedicam profundamente, até como mecanismo de ascensão social.

Portanto, a aparência apresenta muita divergência com a realidade…


Um comentário para “As Mulheres Asiáticas”

  1. Ernesto Fujiki
    1  escreveu às 10:57 em 1 de Fevereiro de 2010:

    Bom dia Paulo Yokota.
    Alguns anos após o nosso casamento, a minha sogra comentou entre risos para a sua filha, a minha esposa, que a mulher casada deve praticar no marido, a fábula do “saru mawashi” , ou acrobacia de macaquinho na tradução direta. Quando me explicaram a fábula, percebí que a minha esposa já fazia isso comigo já a tempos, logo após o casamento, e soube que “saru mawashi” é um ícone de atitudes para a a maioria das esposas japonesas , como esposa esperta.
    Passamos para as nossas 3 filhas, mais uma filosofia oriental interessante de como controlar o marido-pavão e consequentemente, o casamento ….
    Abraços a todos.


Deixe aqui seu comentário

  • Seu nome (obrigatório):
  • Seu email (não será publicado) (obrigatório):
  • Seu site (se tiver):
  • Escreva seu comentário aqui: