Tentando aproximar a Ásia da América do Sul e vice-versa

Orquestra Sinfônica da Favela de Heliópolis

21 de Março de 2012
Por: Paulo Yokota | Seção: Cultura, Editoriais, Notícias, webtown | Tags: , | 2 Comentários »

Uma iniciativa vitoriosa na favela de Heliópolis, a maior da capital paulista, ganhou projeção internacional em poucos anos, efetuando excursões pelos países com maior tradição da música clássica. Os seus componentes são 1.300 jovens favelados organizados pelo Instituto Buccarelli e mereceu hoje um artigo especial no Caderno 2 do jornal O Estado de S.Paulo, estampando as admirações de violonistas holandesas que vêm para a favela para uma temporada, como Rosane Jacobs e Emma Bredveld. Uma programação especial está sendo preparada para o próximo dia 21 de abril, quando membros da orquestra holandesa irão tocar enquanto percorrem a favela, para se juntarem aos brasileiros que seguirão de outro ponto e apresentar um concerto conjunto.

As declarações das artistas holandesas são de arrepiar: “O clima caloroso me impressionou muito. Todos, professores, alunos, fazem parte de tudo” (Enma Bredveld). “Foi algo especial ver de perto algo que há muito não via: o simples prazer de fazer música” (Rosane Jacobs).

imagesCAF3E80Guntitled

imagesCA4LYHW9imagesCA5L47NC

Esta orquestra já deu concerto na Sala São Paulo, foi regida nada menos que pelo famoso Zubin Mehta, da consagrada Filarmônica de Israel. Recebe o suporte da Petrobras e da Votorantim, entre outras grandes empresas, já se apresentou nas salas mais exigentes do mundo. É um orgulho do Brasil.

Rosane Jacobs, de 22 anos, está morando numa casa simples de um dos músicos, na fronteira da favela. Ela quer sentir o clima, nada perdendo da experiência desta favela que conta com cerca de 100 mil habitantes. Explica que se sente segura circulando pela favela, que já melhorou muito com outras iniciativas, como a do ensino de voleibol pela ex-jogadora da seleção brasileira Ana Mozer, ou de urbanização de parte dela pelo arquiteto Ruy Ohtake, ou mesmo sugerindo colorir suas casas com cores vivas.

Como em todos os conglomerados humanos em favelas que eram desorganizadas, apresenta problemas como dos seus traçados ou humanos como a disputa de poder de alguns grupos. Mas tudo fica minimizado com o prestígio que ela conquistou, não só no Brasil como no mundo.

Tudo isto mostra que existem esperanças, pois favelas Brasil afora é que não faltam. Mas tudo exige um trabalho persistente de um grupo de abnegados, não há milagres. A temporada de 2012 contará com a regência do famoso brasileiro Isaac Karabtchevsky.


2 Comentários para “Orquestra Sinfônica da Favela de Heliópolis”

  1. Maria do Socorro Nascimento Harada
    1  escreveu às 21:02 em 23 de Abril de 2017:

    Assiste hoje 23/04/2017,no Auditório do MASP,a apresentação desta orquestra,juntamente com o pianista Alvaro Siviero.Uma apresentação de alto nível.Finalmente o Brasil não só tem corrupção,mas gente de muita dignidade.PARABENS,obrigada.

  2. Paulo Yokota
    2  escreveu às 09:14 em 24 de Abril de 2017:

    Cara Maria do Socorro,

    É muito interessante que os períodos de dificuldade estimulam muitos artistas para superarem os obstáculos. Na Musica Popular Brasileira também um dos períodos mais férteis foi durante o período autoritário. Hoje muitos artistas, pelas dificuldades até no mundo, são obrigados a mostrarem seus talentos no Brasil. Pena que a sala do MASP apresenta os ruídos do metrô.

    Paulo Yokota


Deixe aqui seu comentário

  • Seu nome (obrigatório):
  • Seu email (não será publicado) (obrigatório):
  • Seu site (se tiver):
  • Escreva seu comentário aqui: