Tentando aproximar a Ásia da América do Sul e vice-versa

Dramáticas Discussões Para Onde Vamos

23 de Abril de 2017
Por: Paulo Yokota | Seção: Cultura, Editoriais e Notícias, Política | Tags: , , , | 2 Comentários »

clip_image002 Haveria um período na história do mundo com tantos choques de ideias a ponto de ficar difícil identificar uma tendência na direção para a qual caminhamos? Discussões ainda esparsas parecem proliferar em todos os lugares, como num artigo de Michael Hoffman publicado no The Japan Times.

Foto que ilustra matéria publicada no The Japan Times questionando se o Japão poderia se tornar no futuro um melting pot cultural

Quando se enfrenta na França uma eleição de vital importância sem saber quem terá condições de se tornar o vencedor no segundo turno, aglutinando até tendências políticas conflitantes, quando o mundo fica a mercê das ameaças atômicas da Coreia do Norte, quando Donald Trump com toda a sua belicosidade aumenta o seu prestígio popular, quando a Europa conta com profusões de tendências nacionalistas com uma corrida armamentista, o mundo assiste a dramáticas restrições para as migrações e grandes países asiáticos avançam suas economias com enormes populações e inovações tecnológicas, acaba-se ficando confuso, tornando-se indispensável que muitos pensadores forneçam um mínimo de pistas sobre as correntes relevantes e a direção a que tendemos caminhar no seu conjunto.

clip_image004

Foto dos candidatos nas eleições da França que disputam o primeiro turno publicada no Le Figaro

Nem os analistas políticos mais informados sobre a França conseguem apontar os dois candidatos franceses que passarão para o segundo turno, tendo condições de se entenderem com os apoiadores dos muitos candidatos para obter a maioria. Mais do que suas ideias, parece que as votações com muitos indecisos tendem a se posicionar contra os mais radicais, tanto à esquerda como à direita.

Um país pequeno e praticamente falido como a Coreia do Norte com seus armamentos atômicos e lideranças militares perigosas cria um grande impasse no Extremo Oriente, não se chegando ainda a um entendimento entre os Estados Unidos e seus aliados com a China para evitar riscos de incalculáveis danos aos seus vizinhos, como a Coreia do Sul e o Japão. O mundo não parece contar com mecanismos que o preserve de desastres militares que podem ter consequências numa região crítica para todos.

A China que continua suportando a Coreia do Norte não parece disposta a usar toda a sua capacidade de influência, inclusive de abastecimento de suas principais necessidades de forma a coibir estes potenciais riscos, evidenciando que sem a sua orientação o Ocidente não consegue controlar a situação no Extremo Oriente.

clip_image006

Foto das recentes paradas militares na Coreia do Norte

Este site vem destacando os avanços tecnológicos da China e da Índia que superam os Estados Unidos em muitos setores, mostrando que nas próximas décadas há uma tendência para um deslocamento mais acentuado da importância da Ásia, com declínio relativo da Europa e dos Estados Unidos, bem como seus aliados que não estão uniformes nos seus suportes.

Os países que estão com suas populações decrescentes como o Japão precisam encontrar formas de se manter no cenário internacional, mas também são afetados pelas tendências nacionalistas. As resistências às correntes migratórias mostram o quanto o nacionalismo acaba sendo relevante, havendo pouca solidariedade mundial. Parece, infelizmente, que nestes momentos de dificuldades todos acabam se concentrando nos seus interesses.

Mas as crescentes facilidades pelos deslocamentos, principalmente de turistas e costumes, fazem com que continue havendo uma mal definida cultura melting pot, ainda que não abranja toda a população que conta com longa história, mas principalmente os mais jovens.

Um número incrível de fatores está exercendo o seu papel, mas parece que estes assuntos acabam ficando com especialistas, sendo que as superficialidades das notícias divulgadas e digeridas pelo grosso da população acabam provocando reações mais emotivas, que mudam rapidamente nos seus impactos, gerando um clima quase de instabilidade. Esperamos que o tempo e a contribuições dos especialistas acabem despertando a ideia de que todos somos humanos, havendo maior necessidade de solidariedade, mesmo que estas ideias sejam somente preliminares.

Muitos dos problemas que nos atingem, como os do aquecimento global, exigem considerações que extravasam as fronteiras de muitos países, exigindo visões mais amplas e de prazo mais longo, não podendo ser simples modas passageiras.


2 Comentários para “Dramáticas Discussões Para Onde Vamos”

  1. kal
    1  escreveu às 00:15 em 24 de Abril de 2017:

    (… )Maquiável dizia que uma década é suficientes para que os líderes e população se afastem dos princípios que originalmente garantiram o sucesso do empreendimento.

    Se a corrupção derrubou o império Otomano, facilmente destruirá empreendimentos menos gloriosos.

    Então, para onde vamos? Quando a corrupção toma conta de um país livre, este caminha para a tirania.

  2. Paulo Yokota
    2  escreveu às 09:08 em 24 de Abril de 2017:

    Cara Kal,

    Obrigado pelo comentário. Sempre existem esperanças, como as eleições primárias na França, mas tudo exige muito trabalho para se consolidar.

    Paulo Yokota


Deixe aqui seu comentário

  • Seu nome (obrigatório):
  • Seu email (não será publicado) (obrigatório):
  • Seu site (se tiver):
  • Escreva seu comentário aqui: