Tentando aproximar a Ásia da América do Sul e vice-versa

Pesquisas Científicas nos Países Emergentes

27 de Janeiro de 2010
Por: Paulo Yokota | Seção: Tecnologia | Tags: , ,

O relatório elaborado recentemente pela Thomson Reuters, uma instituição especializada em acompanhar as publicações científicas em mais de 10 mil revistas especializadas, publicadas somente depois dos textos serem examinados e aprovados por dois especialistas, foi amplamente divulgado pelos principais jornais do mundo, inclusive pela Folha de S. Paulo. Referindo-se à Rússia, o dados compilados pelo Financial Times permitiram compará-los com os relatórios anteriores elaborados sobre a China, Brasil e Índia, cobrindo os últimos 30 anos.

Estes estudos chegaram à conclusão que a China caminha para liderar as pesquisas científicas em todo o mundo, superando até os Estados Unidos.

O Brasil vem efetuando um grande esforço, particularmente nas áreas da agricultura e saúde – ciências relacionadas com a vida, e meio ambiente. Em 1981, efetuava o correspondente a um sétimo das pesquisas da Índia, e em 2008 alcançou praticamente o mesmo número. Está hoje em segundo lugar entre os emergentes. Contrasta com a China, Índia e Rússia, que tendem para as ciências físicas, químicas e engenharia. O Brasil já chegou a 2,1% das pesquisas mundiais, e o seu ritmo de crescimento é superior ao da Índia e da Rússia.

O país que estagnou nestas pesquisas foi a Rússia.

Segundo o diretor da Royal Society de Londres, esta evolução das pesquisas chinesas se deve a alguns fatores. Primeiro, os enormes investimentos governamentais efetuados. Segundo, o fluxo organizado do conhecimento da ciência básica para as aplicações comerciais. Terceiro, o eficiente e flexível caminho pelo qual a China apoia sua extensa diáspora científica, permitindo que cientistas no meio da sua carreira trabalhem parte do ano no exterior e na China.



Deixe aqui seu comentário

  • Seu nome (obrigatório):
  • Seu email (não será publicado) (obrigatório):
  • Seu site (se tiver):
  • Escreva seu comentário aqui: