Tentando aproximar a Ásia da América do Sul e vice-versa

Mulheres na Ásia

8 de março de 2010
Por: Paulo Yokota | Seção: Editoriais | Tags: , , , | 2 Comentários »

Uma das maiores distorções que continuam a existir no Ocidente com relação à Ásia real está na compreensão do papel da mulher, assunto que abordamos hoje, dia em que se presta homenagem a elas universalmente.

Um artigo da jornalista Seth Mydans, do The New York Times, publicado no suplemento da Folha de S.Paulo de hoje, por exemplo, é extremamente injusto. Tem o título “Laço familiar conduz lideranças femininas na Ásia”. Ora, isto não acontece também com os homens que assumem a liderança política de um país?

Deve-se admitir que elas sofrem discriminações de diversas ordens em todo mundo, ainda que isto esteja se atenuando um pouco recentemente. E exatamente por que precisam superar mais obstáculos, elas se empenham a se destacar desde pequenas. Os desafios têm sido as motivações constantes para os seres humanos, independente de sexo. E isto vem da base de muitas sociedades.

Na maioria das comunidades asiáticas, o predomínio masculino é só na aparência. Quem detém o poder efetivo sobre assuntos fundamentais da família, núcleo básico de qualquer sociedade, é a mulher, enquanto os “machistas” ficam somente com as formas superficiais e externas de ostentação.

É preciso admitir que a educação, a administração dos recursos de uma família e as decisões sobre os principais investimentos são predominantemente da alçada feminina. Pode-se alegar que estes “abacaxis” são deixados para elas porque os recursos disponíveis costumam ser limitados. Mas são as decisões que vão influenciar sobre os rumos futuros de qualquer coletividade.

Muitos líderes políticos homens, mesmo na Ásia, se beneficiaram dos laços familiares. No Japão, por exemplo, grande numero de primeiros-ministros chegaram a estes postos porque seus antepassados, avós e pais, tiveram papel de destaque na política. Até mesmo sogros ou outros parentes. Não é possível diferenciar que isto aconteceu somente com as mulheres, salvo alguns casos. Mas isto aconteceu também no Ocidente.

Só posso atribuir este preconceito à ignorância. Ou a vontade de afirmações dentro de movimentos feministas. Mas, agora, acho que são os homens que precisam promover estes movimentos, pois estão sendo esmagados pela competência das mulheres.


2 Comentários para “Mulheres na Ásia”

  1. Paulo Yokota
    1  escreveu às 17:26 em 8 de março de 2010:

    Cara Naomi Doy,

    Acho que nos dias de hoje o sexo é irrelevante, pois o que se conhecia desde a Antiguidade, existem muitas pessoa que não os tem claramente definido, e nem por isto devem ser menos considerados. Os preconceitos estão caindo, ainda que o meu mentor mais sábio, Toshiwo Doko, dizia que somente as pessoas que passaram pela dor do parto podem tomar as decisões mais duras, citando a determinação de Margareth Thatcher.

    Paulo Yokota

  2. Naomi
    2  escreveu às 17:26 em 8 de março de 2010:

    O texto de Seth Mydans (é mulher? pior ainda) deixou um sabor indigesto pela manhã. Algumas mulheres parecem buscar auto-afirmação por caminhos enviesados.

    Mas hoje em São Paulo, por onde passaram – bancos, escolas, academias, postos de gasolina, lojas, supermercados, … – as mulheres receberam um afago em forma de ramos de rosas. Ao chegarem em casa à tardinha após uma 2ª feira corrida, este post do Paulo Yokota devolveu definitivamente o bom humor.

    Os homens também estão começando por merecer o seu Dia Internacional do Homem. Sou 100% solidária.


Deixe aqui seu comentário

  • Seu nome (obrigatório):
  • Seu email (não será publicado) (obrigatório):
  • Seu site (se tiver):
  • Escreva seu comentário aqui: