Tentando aproximar a Ásia da América do Sul e vice-versa

Performance e Desafios da Economia Indiana

13 de Abril de 2010
Por: Paulo Yokota | Seção: Livros e Filmes | Tags: ,

India's Economy - Capa Ainda que a China venha impressionando o mundo pelo seu rápido crescimento econômico e muitos achem que o Brasil tem as melhores condições para uma performance futura adequada, tudo indica que a Índia vem planejando o seu surpreendente crescimento com bases sólidas.

Um livro que acabou de sair, “India’s Economy – Performance and Challanges”, editado por Shankar Acharya e Rakesh Mohan, Oxford University Press, 2010, merece a atenção de todos os economistas. Todos sabem que a Índia conta com incontáveis acadêmicos da melhor qualidade e fica evidente que a recente performance indiana é resultado de importantes estudos acumulados ao longo do tempo.

A Índia sempre foi tida como um país de cultura antiga, gigantesca geográfica e populacionalmente, que apresenta grandes complexidades pelas suas variadas etnias, religiões e uma distribuição de renda muito desigual. No entanto, a sua política macroeconômica, mantida coerente ao longo dos últimos anos, vem proporcionando os resultados esperados, depois de superar os sonhos socialistas.

O primeiro artigo do livro, “Indian Economic Growth, 1950-2008 – Facts and Beliefs, Puzzles and Policies”, de Surjit S. Bhalla, é um dos destaques, ainda que usando instrumentos avançados. Mostra que a política macroeconômica, considerada como objetivando um crescimento sustentável com baixa inflação, obteve nos últimos 28 anos um crescimento médio de 6,2% ao ano, com inflações modestas.

Tanto a política monetária como fiscal foi mantida dentro dos padrões recomendáveis pela experiência internacional. Ao contrário do negligenciado por muitos economistas, os dados empíricos mostram que os juros reais têm sido determinantes dos investimentos. Um por cento de elevação dos juros dos empréstimos resulta em declínios de 2 a 3 por cento nos investimentos.

A política da taxa de câmbio mostrou que o canal para desvalorizar a moeda com relação ao produto é via investimentos. Uma moeda desvalorizada aumenta diretamente a rentabilidade dos investimentos, e consequentemente do crescimento. As análises indianas mostram que a desvalorização tem sido a variável mais significante na determinação do crescimento.

Muitas outras conclusões foram obtidas, mas somente as apontadas já justificam a importância do artigo de Surjit S. Bhalla, que merece a mais profunda atenção dos responsáveis pela política macroeconômica brasileira nos próximos anos.



Deixe aqui seu comentário

  • Seu nome (obrigatório):
  • Seu email (não será publicado) (obrigatório):
  • Seu site (se tiver):
  • Escreva seu comentário aqui: