Tentando aproximar a Ásia da América do Sul e vice-versa

Melhoria da Distribuição de Renda no Brasil

23 de Março de 2011
Por: Paulo Yokota | Seção: Economia | Tags: , ,

É do conhecimento geral que todos que desejam fazer publicidade para alvos específicos utilizam a classificação da população, no caso do Brasil, distribuindo-a entre as classes sociais A, B até a E. Artigo publicado hoje no jornal O Estado de S.Paulo, pela jornalista Márcia De Chiara, utiliza os dados levantados na sexta edição da pesquisa “O Observador Brasil 2011”, executado pelo Instituto Ipsos Public Affairs, a pedido da Cetelem BGN, do grupo financeiro BNP Paribas.

Entre 2005 a 2010, a estrutura teria mudado de uma forma piramidal para uma do tipo losango, mostrando um expressivo crescimento da classe denominada C, com a redução das classes D/F. Evidentemente, estas classificações são utilizadas principalmente pelas agências de publicidade, mas de qualquer forma expressam a substancial melhoria da distribuição de renda no país neste período, que explica a melhoria do mercado consumidor.

Apresentação2Pasta1

Esta expressiva mudança não ocorreu somente, como os mais críticos afirmam, em decorrência de programas tipo Bolsa Família, mas a melhoria da remuneração de uma nova classe média, fundamental em qualquer economia. A performance da economia brasileira, dentro da orientação dada pelo governo, proporcionou um volume substancial de emprego, melhorando os que se situaram nas classes D e E, para cima, ou seja, passaram para a chamada classe C.

O exame do artigo e principalmente da pesquisa apresenta grande interesse, pois mostra também as variações das pretensões de compra de 2010 para 2011, percentualmente, nas diversas classes, e por itens de consumo como móveis, eletrodomésticos, lazer/viagem, telefone celular, computadores para casa, automóveis, ferramentas domésticas, motos e equipamentos esportivos.

Todas as empresas, nacionais ou estrangeiras, que desejam ampliar as suas atividades no Brasil precisam considerar estes dados, ainda que se trate somente de uma pesquisa que pode mudar as intenções de conformidade com a evolução da economia, considerando problemas internacionais com os observados nos países árabes ou no Japão.



Deixe aqui seu comentário

  • Seu nome (obrigatório):
  • Seu email (não será publicado) (obrigatório):
  • Seu site (se tiver):
  • Escreva seu comentário aqui: