Tentando aproximar a Ásia da América do Sul e vice-versa

Mudança Lenta e Inevitável nas Vendas a Varejo no Japão

30 de junho de 2020
Por: Paulo Yokota | Seção: Economia, Editoriais e Notícias | Tags: , , ,

Um interessante artigo de Ritsuko Ando foi publicado no Japan Today sobre as compras efetuadas nos supermercados, que mudam lentamente em direção ao que ocorre no Ocidente. Os japoneses costumavam fazer as compras nestes estabelecimentos diariamente, escolhendo o que desejavam pela sua qualidade e frescor. Mas com a atual pandemia está, clip_image002lentamente, mudando de hábito, aumentando o uso de entregadores em suas residências.

Uma caixa, devidamente preparada para evitar contágios, com um escudo facial fica atrás de painéis de plástico transparente em um balcão de compras em um supermercado da Aeon em Chiba, no final de maio. Foto constante do artigo publicado no site do Japan Today, que vale a pena ser lido na sua íntegra

Leia o restante desse texto »


Manutenção do Emprego no Japão na Atual Crise

22 de junho de 2020
Por: Paulo Yokota | Seção: Economia, Editoriais e Notícias | Tags: , , ,

Um artigo extremamente interessante escrito por Ben Dooley e Hisako Ueno, do The New York Times, foi publicado no Japão pelo The Asahi Shimbun, informando que na atual crise mundial os desempregados no Japão aumentaram muito pouco, passando de 2,2% para 2,6%, quando no resto do mundo, inclusive Estados Unidos, chegou-se aos níveis da Grande Depressão que clip_image002começou em 1929. No Japão, para 140 vagas de novos formandos em nível universitário consegue-se somente 100 candidatos atualmente.

Os japoneses formados nas Universidades se candidatam a empregos, havendo somente 100 para 120 vagas neste ano de 2020

Leia o restante desse texto »


O Brasil Real e o Oficial

17 de abril de 2020
Por: Paulo Yokota | Seção: Economia, Editoriais e Notícias, Saúde | Tags: , , , | 10 Comentários »

O Brasil que conheço com os seus muitos marginalizados nos seus confins e os mencionados oficialmente apresentam diferenças substanciais. Diante da atual crise que afeta o mundo com o coronavírus, o governo providenciou um mínimo de assistência para a sobrevivência dos menos privilegiados, mas eles não conseguem preencher o mínimo de dados para se habilitar a receber estas importantes assistências. Tanto os analfabetos, residentes nas favelas como no meio rural brasileiro. Imaginar que eles estão capacitados para se registrar usando programas constantes dos celulares, quando estes instrumentos eletrônicos parecem atender somente parte destas populações modestas, que só os usam para se comunicar uns com os outros. Nem um idoso como nós conseguimos usar plenamente estes celulares, atrasando o acesso efetivo a estes recursos assistenciais bem-vindos.

De outro lado, o novo ministro da Saúde, doutor Nelson Teich, bem qualificado academicamente e com atividades no setor privado, não parece ter conhecimento de como funciona efetivamente o SUS – Sistema Único de Saúde com todas as suas limitações, sem nenhuma experiência expressiva da burocracia pública. Sem uma vivência parlamentar pessoal, não possui relacionamentos profundos com os políticos, que possuem uma parcela expressiva do poder no Brasil. Afirmando que economia e saúde podem atuar em conjunto, mostra que ele não está acostumado com crises profundas, que exigem uma prioridade ainda que temporária para um deles. Até o presidente Jair Bolsonaro já admite que se faz o que é possível, não o que se quer. Outros afirmam que com os mortos não se pode fazer mais nada, mas a economia pode ser recuperada, ainda que exigindo muito trabalho e tempo.

Todos sabem que o Brasil não dispõe de meios para atender todos os suspeitos de estarem contaminados, sem meios para a rápida avaliação da sua situação, como equipamentos e recursos humanos para atendê-los mesmo precariamente. Não é por não se preocupar com os aspectos econômicos que se socorre do isolamento dos mais sujeitos às contaminações, principalmente dos que não apresentam ainda os sinais mais claros de estarem afetados.

clip_image002

Médico oncologista Nelson Teich, novo ministro da Saúde

Muitas pesquisas estão sendo feitas em todo o mundo, havendo indícios que alguns medicamentos podem ajudar na superação dos problemas, mas todos admitem que somente vacinas podem ter um efeito mais amplo, com os vírus que continuam evoluindo, tendo características genéticas diferentes.

Há que se preocupar com a capacidade de melhor conhecimento dos que estão afetados, ou as causas de muitas mortes. Começam a aparecer dados que estimam as diferenças com os dados apresentados pelo governo. Sem um melhor conhecimento da situação que o Brasil se encontra, acaba ficando mais difícil até a insuficiência da capacidade governamental neste setor.

Não parece conveniente que se imagine que somente os brasileiros estão capacitados mais que outros povos no que é realmente pragmático nesta calamidade. Tudo indica que vontades políticas não podem superar o que se conhece cientificamente, com todos os seus problemas e insuficiências.


Agricultura Japonesa Com Crescente Uso de Tecnologias

24 de janeiro de 2020
Por: Paulo Yokota | Seção: Economia, Editoriais e Notícias | Tags: , , ,

imageNa EXPO TSUKUBA 85, um único tomateiro produziu mais de 40 toneladas de tomates de boa qualidade. Depois de mais 35 anos, com as irregularidades climáticas que parecem estar aumentando no mundo, os agricultores japoneses usam cada vez mais o chamado “vinil house” para, com condições totalmente controladas, aumentar a sua produção segura, utilizando tecnologias de ponta.

Foto de um tomate produzido num vinil house constante do artigo publicado no Yomiuri Shimbun

Trata-se de uma atividade empresarial na agricultura e o gerente de tecnologia de cultivo do grupo Kagome confere os tomates crescendo dentro do chamado greenhouse, em Fujimi, na Prefeitura de Nagano.

Leia o restante desse texto »


Assustador Sistema Logístico da JD do Grupo Alibabá com 5G

13 de novembro de 2019
Por: Paulo Yokota | Seção: Economia, Editoriais e Notícias | Tags: , , ,

A China continua impressionando o mundo com o uso das melhores tecnologias, agora para o sistema logístico para o Dia do Solteiro, 11/11 onze de novembro. Sob o comando de Jack Ma, do Grupo Alibabá, chega-se a qualquer ponto da China, sendo 90% em menos de 24 horas, clip_image002usando o ar, os rios, até com drones. Os restantes 10% no dia seguinte. O sistema montado tem capacidade para entregar 50 bilhões de pacotes por ano, usando o que há de mais avançado no 5G do mundo. Farc Feifei, de Beijing, e He Wei, de Shanghai, escreveram sobre o assunto no China Daily.

Jack Ma, fundador da Alibabá, numa foto com uma funcionária do sistema logístico em Cainiao Post, em Hangzhou, na provincial de Zhejiang, China, onde está o comando do sistema logístico do Grupo, que utiliza as tecnologias mais avançadas do 5G

Leia o restante desse texto »


Prêmio Nobel Joseph Stiglitz Escreve Sobre o Neoliberalismo

7 de novembro de 2019
Por: Paulo Yokota | Seção: Economia, Editoriais e Notícias | Tags: , , , ,

clip_image002É natural que haja debates sobre o que estaria acontecendo recentemente no mundo, inclusive entre os acadêmicos. Observa-se uma polarização que parece exagerada mesmo entre os estudiosos, com muitos enfatizando críticas às políticas de regulamentação governamental e ressaltando a importância da política neoliberal que, além de permitir o desenvolvimento econômico, preservaria o sistema democrático.

Joseph E.Stiglitz, professor da Columbia University, USA, um dos prêmios Nobel de Economia de 2001, que escreve regularmente no Project Syndicate

Leia o restante desse texto »


Japoneses Mais Agressivos no Tokyo Motor Show

23 de outubro de 2019
Por: Paulo Yokota | Seção: Economia, Editoriais e Notícias | Tags: , , , , | 6 Comentários »

imageA Tokyo Motor Show sempre foi a oportunidade para apresentar novidades, mas a deste ano surpreende pelas ousadias nos designs e inovações tecnológicas.

A Toyota sempre apresentou suas novidades, mas os seus designs melhoram muito, como no novo Lexus LF-30 elétrico

Leia o restante desse texto »


Morreu Lázaro de Mello Brandão do Bradesco

18 de outubro de 2019
Por: Paulo Yokota | Seção: Economia, Editoriais e Notícias | Tags: , , ,

Há muitos observadores que acham que o Bradesco sempre foi um banco dos bancários e não de banqueiros. Fundado por Amador Aguiar, Lázaro de Mello Brandão, com quem convivi por muitos anos, tinha começado sua carreira como mero escriturário. Chegou à Presidência do Bradesco e à Presidência do seu Conselho Deliberativo, tendo contribuído decisivamente para a formação de um banco que sempre se voltou aos pequenos clientes, correntistas ou clip_image002empresários. Sempre foi modesto não aparentando ser o principal executivo do maior banco privado brasileiro. Para chegar a operar no exterior, demorou muito. Vai deixar muitas saudades.

Faleceu Lázaro de Mello Brandão, um sinônimo do Bradesco, com 93 anos

Leia o restante desse texto »


Corrida Para Veículos Não Poluentes

12 de outubro de 2019
Por: Paulo Yokota | Seção: Ecologia, Economia, Editoriais e Notícias | Tags: , ,

Os jornais japoneses, especialmente o Asahi Shimbun, anunciam que no 2019 Tokyo Motor Show, que abre no próximo dia 24 deste mês, a Toyota lançará a segunda geração do seu Mirai imageque, por meio de uma célula, transforma o hidrogênio em eletricidade. Com linhas novas, deverá ser o veículo mais avançado eco-friendly, que deverá estar no mercado japonês, norte-americano e europeu em 2020, inicialmente com 10 mil unidades.

Foto do protótipo do novo Mirai, constante do artigo no site do The Asahi Shimbun, que usará o hidrogênio não poluente

Leia o restante desse texto »


Remessa de Recursos de Brasileiros Trabalhando no Exterior

14 de setembro de 2019
Por: Paulo Yokota | Seção: Economia, Editoriais e Notícias | Tags: , , , , ,

Com as muitas dificuldades econômicas que não só afetam o Brasil, mas até outros países como Portugal, a remessa de recursos dos trabalhadores do exterior para os seus familiares volta a ganhar maior importância. Já houve períodos que haviam cerca de 300 mil brasileiros trabalhando formalmente no Japão que remetiam parte dos seus recursos para seus familiares usando unidades bancárias como do Banco do Brasil. Hoje, os vistos que são concedidos para os trabalhadores brasileiros de três gerações de ascendência japonesa para trabalhos clip_image001temporários no Japão continuam aumentando e suas remessas começam a ganhar novamente a importância do passado. Muitos dos recursos obtidos pelo Banco no exterior eram decorrentes destas remessas, fenômeno que parece estar voltando a se repetir.

Instalação do Banco do Brasil no Japão, hoje mais modesta que no passado

Leia o restante desse texto »