Tentando aproximar a Ásia da América do Sul e vice-versa

Novo Embaixador Americano na China

8 de Março de 2011
Por: Paulo Yokota | Seção: Notícias | Tags: , ,

Muitos jornais internacionais estão dando como certa a indicação de Gary Locke, o atual secretário do Comércio do governo norte-americano, um sino-americano, ex-governador por duas vezes do Estado de Washington, como embaixador na China. Este posto é estratégico para as boas relações entre os dois países, crucial para o mundo, e o embaixador removido parece que tinha pretensões de disputar a presidência dos Estados Unidos, tomando atitudes que dificultavam o relacionamento diplomático entre as duas maiores potências do mundo atual.

Todos sabem que os Estados Unidos pressionam a China para uma valorização do seu câmbio que estaria provocando um sensível desequilíbrio no comércio mundial, ao que as autoridades chinesas respondem com uma atitude cautelosa, alegando que o país, apesar de ter se tornado a segunda economia do mundo, tem um nível de renda per capita muito baixo. E que uma valorização do yuan provocaria muitos problemas para as empresas estrangeiras de todo o mundo que se instalaram na China, utilizando-a como base para exportação de manufaturados que utilizam muita mão-de-obra local, cujos custos começam a subir.

imagesCA32HBVD

Gary Locke, provável embaixador dos Estados Unidos na China

O desconforto das relações das duas potências não se resume somente neste assunto. O mundo chamado democrático gostaria que a China respeitasse os direitos humanos, reduzindo as restrições sobre seus dissidentes. O rápido crescimento econômico recente da China, e o aumento de seu poderio militar causam desconfortos, pois seus mísseis podem atingir os porta-aviões norte-americanos que pretendem assegurar o controle dos mares cruciais para muitos dos seus aliados na Ásia, como o Japão, Taiwan e a Coreia do Sul, bem como os países do sudeste asiático.

Gary Locke, por ser um sino-americano, cujos pais imigraram para os Estados Unidos, deve ter uma boa compreensão da China, sua cultura e seus interesses. O Estado de Washington conta uma importante comunidade de chineses e seus descendentes. Mas isto não é uma segurança sobre a sua capacidade diplomática.

No entanto, confirmada a sua indicação, Barack Obama estaria dando um sinal da importância que dá para o relacionamento com a China, indicando um seu secretário de comércio, de etnia chinesa. A tarefa do novo embaixador, que ainda teria que ser aprovado pelo Senado norte-americano, seria de grande importância.

Os Estados Unidos mantêm a tradição de indicar embaixadores empresários ou políticos para postos chaves, mesmo que tenham um respeitável quadro de diplomatas, que certamente estarão desempenhando funções importantes na sua embaixada na China. O cargo, portanto, seria político e serviria para dar a indicação da importância que assunto está merecendo, inclusive na imprensa internacional.



Deixe aqui seu comentário

  • Seu nome (obrigatório):
  • Seu email (não será publicado) (obrigatório):
  • Seu site (se tiver):
  • Escreva seu comentário aqui: