Tentando aproximar a Ásia da América do Sul e vice-versa

O Aumento das Tensões Militares

25 de Janeiro de 2012
Por: Paulo Yokota | Seção: Economia, Editoriais, Notícias, Política | Tags: , ,

Lamentavelmente, há um aumento de tensões militares quando ocorrem modificações substanciais no quadro econômico mundial. Com a crescente importância econômica da China no cenário internacional, os chineses aumentam suas preocupações militares com a proteção de suas rotas de abastecimento, e isto acaba provocando reações dos seus vizinhos e todos os incomodados no mundo. Um artigo recente publicado no Daily Yomiuri Online, do Japão, reflete parte deste problema, ao mesmo tempo em que a imprensa internacional noticia sobre os problemas no Golfo Pérsico, principalmente com o boicote provocado pelos Estados Unidos, fazendo com que o Japão e a Comunidade Europeia deixem de adquirir petróleo iraniano diante de sua insistência na continuidade do seu programa nuclear, que alega ser pacífico.

DY20120124104936019L0

O artigo do Yomiuri enfatiza as preocupações dos vizinhos asiáticos com o aumento da frota de submarinos chineses ao lado do declínio geopolítico do Ocidente. Estaria ocorrendo um aumento da presença destes submarinos, não só chineses como russos e norte-americanos, na proximidade do Japão.

Até autoridades militares do Vietnã estariam sendo autorizados a examinar internamente os submarinos japoneses que contam com tecnologia de ponta e parte do Sistema Marítimo de Auto-Defesa do Japão, o que é fato inusitado. Os dois países assinaram um memorando para promover um intercâmbio para defesa mútua.

Os chineses teriam 70 submarinos nucleares de alta tecnologia da classe chamada Jin, tornando-se a segunda potencia militar nesta área, ainda com a liderança dos Estados Unidos, que são obrigados a manter a sua frota espalhada pelo mundo.

Há sempre a possibilidade da saída do Golfo Pérsico ser bloqueado pelo Irã, num ato de desespero. Dois porta-aviões norte-americanos encontram-se na área, podendo ser atacado pelos foguetes iranianos, mas o poder de retaliação dos Estados Unidos seria muito maior. Mas um conflito armado na região provocaria dificuldades imensas na rota que abastece cerca de 30% do petróleo e gás utilizado pelo mundo.

É evidente que estas forças potenciais não seriam empregadas facilmente, servindo como formas de dissuasão, mas sempre existe possibilidade de atos de desespero ou acidentes. A esta altura da história espera-se que as diversas nações tenham aprendido as lições do passado, encontrando formas de convivência razoáveis.



Deixe aqui seu comentário

  • Seu nome (obrigatório):
  • Seu email (não será publicado) (obrigatório):
  • Seu site (se tiver):
  • Escreva seu comentário aqui: