Tentando aproximar a Ásia da América do Sul e vice-versa

Aumento da Criação do Atum no Japão

12 de setembro de 2011
Por: Paulo Yokota | Seção: Economia, Editoriais, Notícias, webtown | Tags: , , | 6 Comentários »

Como é do conhecimento de todos, a demanda internacional de atum da melhor qualidade (bluefin tuna em inglês, honmaguro em japonês) vem aumentando substancialmente pela popularidade mundial da culinária japonesa, principalmente porque a sua gordura é considerada colesterol de boa qualidade. Recentemente, ela ganhou novo impulso com os numerosos chineses passando a apreciar o sushi e o sashimi. Antes, eles não tinham o costume de consumir produtos crus na sua alimentação. O jornal japonês Nikkei publica hoje um artigo informando sobre uma parceria das tradicionais empresas japonesas Kyokuyo e a Nippon Formula para aumentar a sua produção de atum criado, como forma de reduzir a sua captura em todo o mundo.

O método empregado pelas duas firmas é fertilizar artificialmente as ovas dos peixes capturados e cultivar os filhotes até a idade adulta. Este ciclo é repetido com os peixes cultivados. Este tipo de criação de peixes é presentemente usado somente por poucos criadores, como a empresa líder nesta área, a Maruha Nichiro e Kiinki University. Convencionalmente, peixes ainda jovens são capturados nos oceanos e criados em fazendas por um período de dois a três anos, quando atingem o peso adequado para o mercado. Os japoneses possuem uma tecnologia comprovada para a criação de produtos marinhos em suas fazendas marítimas.

bluefin1bluefin-tuna-grading-19771

Kyokuyo e Nippon Formula vão combinar seus conhecimentos no projeto, criando desde a fertilização dos ovos, processamento dos produtos até as vendas. Nippon Formula produzirá os alevinos, fornecendo os mesmos para a Kyokuyo, que os criará nas suas fazendas, processando o produto e promovendo as vendas. E por sua vez fornecerá ovos fertilizados para a Nippon Formula, segundo o artigo publicado.

Eles planejam dividir os equipamentos e facilidades que possuem no Japão, começando pela região de Shikoku, onde já mantêm subsidiárias. Dentro de um ano, os dois parceiros pretendem estabelecer uma subsidiária para a criação do atum e outros peixes, aumentando a sua eficiência e reduzindo os custos.

Em três anos, pretendem uma produção em massa nas suas fazendas marítimas. A Kyokuyo quer mais que dobrar o seu fornecimento anual de atuns criados.

Os atuns existentes nos oceanos costumam viajar pelo mundo, e os mais apreciados são os que acumulam muita gordura, cujas partes ricas nestas substâncias são conhecidas como toro, que alcançam elevados valores nos mercados. Como os atuns criados não despendem muita energia nas suas longas viagens, a tendência é acumularem mais gorduras, por serem criadas em cativeiro.

Algumas destas produções com outros tipos de atum (existem mais de uma dezena) são criados em regiões frias, como no Sul da Austrália, ou até em regiões do Mediterrâneo, como a Turquia, não sendo privativa dos japoneses. Com tudo isto, os que se preocupam com a preservação das espécies podem ficar tranquilos, pois sendo criados com elevada eficiência, não ficam sujeitas ao desaparecimento.


6 Comentários para “Aumento da Criação do Atum no Japão”

  1. Monique F. Peixoto
    1  escreveu às 14:27 em 13 de setembro de 2011:

    É preciso ter cuidado com a criação de atuns em cativeiro, pois a operadora da usina de Fukushima está despejando água radioativa no mar.

  2. Paulo Yokota
    2  escreveu às 14:34 em 13 de setembro de 2011:

    Cara Monique F. Peixoto,

    Obrigrado pelo comentário, mas esteja certa que estes problemas, ainda que graves, são limitados.

    Paulo Yokota

  3. Tiago Ferrereira
    3  escreveu às 14:43 em 28 de maio de 2012:

    Por favor, estou pesquisando sobre os diferentes tipos de Atum que existem pelo mundo, desejo aprender, para aprimorar minha profissão ( Sushiman) ….. Teria algum site ou mesmo as variedades para minha pesquisa??

    Obrigado.

  4. Paulo Yokota
    4  escreveu às 10:56 em 29 de maio de 2012:

    Caro Tiago Ferreira,

    Obrigado pelo uso do site. Existem muitos artigos sobre o atum em inglês (tuna), com algumas traduções para o português. Acredito que a forma mais prática seria V. acessar a Google e escolher os artigos que possam o interessar. Os que conheço são em japonês, pois lá existe uma entidade que trabalha com os atuns compreendendo dezenas de variedades. Mas, não conheço nada voltado aos sushimen.

    Paulo Yokota

  5. Nuno Anastácio
    5  escreveu às 07:50 em 29 de março de 2014:

    Bom dia sr.Paulo Yokota
    Estamos em estudo avançado com uma unidade industrial na qual inclui todo o processamento de pescado fresco,iremos também congelar a cavala(scombros japonicus) para alimentar os atuns,gostaria imenso e era um prazer enorme não só para mim,mas também para a empresa conseguir alguma parceria com empresas no mercado Japonês,a quem me devo dirigir em Portugal ou no Japão que me possa ajudar neste meu sonho,visto que a unidade a construir terá mais valências,polvo etc
    Obrigado pela sua atenção ,bem haja

  6. Paulo Yokota
    6  escreveu às 23:16 em 29 de março de 2014:

    Caro Nuno Anastácio,

    Acredito que o seu projeto é muito interessante. Estou tentando informações de especialistas para ver se posso ajuda-lo em algo.

    Paulo Yokota


Deixe aqui seu comentário

  • Seu nome (obrigatório):
  • Seu email (não será publicado) (obrigatório):
  • Seu site (se tiver):
  • Escreva seu comentário aqui: