Tentando aproximar a Ásia da América do Sul e vice-versa

Nosso Muito Obrigado aos Javalis Selvagens e aos Tailandeses

19 de julho de 2018
Por: Paulo Yokota | Seção: Cultura, Editoriais e Notícias | Tags: , ,

Além das emoções extremas por quase um mês, quando parte da humanidade ficou ligada ao drama deles com toda a solidariedade possível, que nem os melhores autores conseguiriam imaginar, superou-se mais uma fase crucial, restando que nos próximos meses as possíveis sequelas psicológicas também sejam superadas, deixando lições para todos nós que nem seriam possíveis de se obter nos melhores cursos sobre a vida.

clip_image002

Javalis Selvagens com algumas profissionais que acompanham a sua completa recuperação física e psicológica

Leia o restante desse texto »


Acordo de Comércio Entre o Japão e a Comunidade Europeia

17 de julho de 2018
Por: Paulo Yokota | Seção: Economia, Editoriais e Notícias | Tags: , ,

Os sites dos principais meios de comunicação do mundo estão divulgando com destaque o acordo firmado entre a Comunidade Europeia e o Japão, envolvendo cerca de um terço do comércio mundial, com uma clara reação à diminuição do intercâmbio universal, diante da clip_image002guerra comercial dos Estados Unidos com a China principalmente.

O primeiro-ministro do Japão, Shinzo Abe, cumprimenta o presidente da Comunidade Europeia, Donald Tust, e o presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, depois de assinar o pacto de livre comércio em Tóquio, nesta terça feira

Leia o restante desse texto »


Irregularidades Climáticas Acentuadas

17 de julho de 2018
Por: Paulo Yokota | Seção: Editoriais e Notícias | Tags: , , ,

clip_image002Ainda que não existam evidências científicas que o aquecimento global esteja aumentando, as irregularidades climáticas e os muitos eventos dramáticos sugerem que pode haver uma relação entre os dois fenômenos.

Neve em Qinghai, noroeste da China, em pleno verão. Foto publicada no China Daily

Leia o restante desse texto »


Investimento Recorde em Energia Limpa na China em 2017

16 de julho de 2018
Por: Paulo Yokota | Seção: Cultura, Economia, Editoriais e Notícias | Tags: , ,

clip_image002Um artigo de Zhu Lingqing publicado no China Daily informa que a China, segundo dados da PricewaterhauseCoopers, vem aumentando sistematicamente a produção de energia limpa de 2014 a 2017, efetuando investimentos significativos para tanto.

Operárias chinesas produzem painéis solares para os projetos de energia solar na China. Foto publicada no China Daily

Leia o restante desse texto »


A Difícil Questão dos Agrotóxicos

16 de julho de 2018
Por: Paulo Yokota | Seção: Economia, Editoriais e Notícias, Saúde | Tags: , ,

Tantos são os interesses envolvidos nas questões relacionadas ao uso dos agrotóxicos no Brasil, como dos seus produtores industriais e dos agricultores, que parece difícil conseguir uma total imparcialidade dos que escrevem sobre o assunto, até pela amplitude dos clip_image002conhecimentos indispensáveis. O projeto de lei 6.299 em tramitação no Congresso Nacional acelerou a sua discussão, que parece necessária. A Folha de S.Paulo publicou uma longa matéria sobre o assunto, num artigo de autoria de Reinaldo José Lopes e Gabriel Alves, bastante amplo, mas que ainda apresenta pequenas lacunas e deve ser lido na íntegra.

Um dos mais prejudicados com os usos dos agrotóxicos no Brasil são os trabalhadores rurais

Leia o restante desse texto »


The Economist Aponta as Dificuldades da Agricultura na Índia

16 de julho de 2018
Por: Paulo Yokota | Seção: Economia, Editoriais e Notícias | Tags: , ,

imageApesar dos intensos esforços do governo indiano em conceder subsídios aos agricultores, as dificuldades para suas exportações proporcionam baixas rendas para eles, provocando uma acentuada deterioração deste setor, que não conta com um sistema eficiente de agroindústrias.

A agricultura indiana vem sendo prejudicada pelos problemas climáticos que reduzem as águas mesmo no subsolo

Leia o restante desse texto »


Milagre Existe e Aconteceu na Tailândia

13 de julho de 2018
Por: Paulo Yokota | Seção: Editoriais e Notícias | Tags: , ,

Um artigo detalhado, com a colaboração jornalistas como Hannah Beech, Richard C. Paddock e Muktita Suhartono, foi publicado no The New York Times e traduzido para o português, reproduzido no site da Folha de S.Paulo, descrevendo a epopeia que foi o salvamento dos estudantes na Tailândia que ficaram retidos por 18 dias numa gruta chamada Tham Luang. As próprias autoridades tailandesas admitem que, no mínimo, milagres ocorreram para que todos os 12 jogadores de futebol dos Javalis Selvagens e o seu técnico fossem retirados das grutas, ainda que alguns com pequenos problemas que devem ser superados por algumas semanas de tratamento. As notícias mantiveram o mundo em suspense, com orações e torcidas e agora detalhes dos problemas enfrentados estão sendo divulgados aos poucos dando uma noção dos gigantescos dramas enfrentados pelos que participaram da operação. Já existem quatro grupos interessados em produzir filmes sobre esta emocionante história, sendo dois da Tailândia. A única morte registrada foi de um mergulhador voluntário, Saman Kunan, que ficou sem o oxigênio necessário e deve ser considerado um grande herói.

clip_image002

Os estudantes localizados no interior de uma gruta na Tailândia depois de mais de uma semana no escuro, sem alimentos ou remédios, tomando somente água que pingavam na caverna

Um puxão na corda era o sinal que as vítimas estavam prestes a ser retiradas das águas, o que era feito com um adolescente ajudado por dois mergulhadores. No último grupo, que incluía o técnico, ocorreu problemas com um deles. Depois do sinal, transcorreram 15 minutos, depois 60, e mais de 90 se passaram e nada ocorria, pois a corda ficou solta. Os voluntários retrocederam um pouco e finalmente, para alívio de todos que participavam da operação, conseguiram retirá-lo das águas, que por serem barrentas e com fortes correntes não permitiam a visibilidade adequada. Havia o risco de esgotamento do oxigênio dos tubos, o que seria fatal.

clip_image004

Mergulhadores tailandeses e estrangeiros penetravam pelas grutas

Dez mil pessoas participaram da operação de resgate, incluindo 200 mergulhadores tailandeses e estrangeiros e autoridades locais, além de dois mil soldados. A população e os familiares, apesar de suas ansiedades, colaboraram se afastando um pouco da saída da gruta para permitir a evolução eficiente dos trabalhos, além de providenciar as alimentações dos que estavam trabalhando.

Como as vítimas estavam enfraquecidas e não sabiam nadar, foram usados casulos flexíveis chamados sked, usados pelos norte-americanos nos salvamentos de sua Força Aérea para acomodá-los, e foram ministrados sedativos para evitar pânicos das vítimas. Sendo flexíveis, permitem passagens por trechos estreitos. Eram conduzidos por dois mergulhadores que também carregavam os tanques de oxigênio para si e para as vítimas, com mergulhos que duravam até 40 minutos cada. Três mergulhadores foram assistidos nos hospitais pelo esgotamento do oxigênio, que é um risco elevado e que vitimou o tailandes.

clip_image006

Skeds usados pela Força Aérea norte-americana

As máscaras de mergulho eram para adultos e descobriu-se que devidamente apertados poderiam ser utilizados também pelos adolescentes, experiência que foi feita numa piscina. Um dos mergulhadores mais experientes informava que a força das águas era como se estivesse debaixo de uma cachoeira e havia que se manter a cabeça na direção correta. Os trechos mais difíceis foram sondados pelos experientes mergulhadores norte-americanos e ingleses, para estabelecer claramente a rota, pois estas grutas apresentam muitos desvios. As vítimas precisavam ser içadas e alguns trechos eram muito escorregadios.

Um raro trabalho de cooperação internacional ocorreu neste salvamento, até com o fornecimento de equipamentos para diversas finalidades. Participaram também mergulhadores da Finlândia, da Austrália e da China. Todos ressaltam que um fato importante foi à coragem das vítimas para enfrentar todos os obstáculos.

clip_image008

Bombeamento das águas das cavernas tailandesas, que no momento crucial deixaram de funcionar, numa das fases mais dramáticas do salvamento dos adolescentes

Onde foi possível foram usadas bombas para reduzir as inundações nas cavernas. Um dos momentos mais dramáticos foi quando as bombas quebraram, voltando a elevar as águas. Com a redução das águas era possível cobrir em duas horas o que com elas se levaria até cinco horas.

Um dos médicos e alguns mergulhadores ficaram dias dentro das grutas até o resgate de todos os estudantes e o seu professor, Ekapol Chanthawong. Eles precisaram também de assistências posteriores nos hospitais. O governo tailandês, com toda a justiça, está preparando a documentação para dar a cidadania aos pais dos apátridas, inclusive o professor.

clip_image010

A população tailandesa local ajudou no resgate, preparando alimentos para os que estavam trabalhando diretamente

Existem muitos heróis nesta história toda, mas há que se reconhecer que as autoridades tailandesas conseguiram um tento espetacular, demonstrando a sua competência no comando de uma operação de rara complexidade, que contou com ajuda importante das experiências externas. É sempre difícil conciliar muitas orientações balizadas. Muitas lições foram deixadas para o mundo com este episódio, mostrando o quanto é importante a cooperação internacional.

Espera-se que as naturais sequelas dos estudantes sejam mínimas, havendo que reconhecer a importância do professor na manutenção da elevada moral de todos, mesmo com todas as condições mais adversas que se possa imaginar. O reconhecimento mundial ao sucesso da operação está expresso pelos convites que os Javalis Selvagens estão recebendo, desde o da FIFA que não pode ser aceita, pois as vitimas ainda estão em recuperação. Foram convidados a assistirem na Rússia à final da Copa do Mundo de Futebol deste ano. Mas outros convites de nível estão também sendo apresentados, estabelecendo uma dificuldade para eles aceitaram os mais expressivos.


Especialistas Recomendam Cuidados com Estudos Médicos

12 de julho de 2018
Por: Paulo Yokota | Seção: Editoriais e Notícias, Saúde | Tags: , ,

clip_image002Um artigo de Ivan Couronne foi publicado no Japan Today com base nos depoimentos feitos pelo professor de medicina da Universidade de Stanford, John Ioannidis (foto). Começa por citar que dois pesquisadores pegaram 50 ingredientes que relacionavam com riscos de câncer, incluindo sal, farinha, salsa e açúcar. Constataram que 40 deles não tinham o adequado fundamento quando as pesquisas foram repetidas de forma adequada, pois utilizaram amostras limitadas do ponto de vista científico.

Leia o restante desse texto »


Algumas Razões de Tantos Mortos e Desaparecidos no Japão

12 de julho de 2018
Por: Paulo Yokota | Seção: Editoriais e Notícias | Tags: , , , ,

 Muitos estranham que um país que conta com tantos mecanismos de alertas antecipados sobre possíveis chuvas torrenciais e uma das melhores assistências às vítimas tenha tantos clip_image002mortos e desaparecidos como nestes desastres que atingiram principalmente a costa oeste do Japão. Mais de 200 mortos, cerca de 60 desaparecidos e milhares de pessoas que tiveram de ser deslocados dos seus lares.

Socorro às vítimas das recentes chuvas intensas no oeste japonês

Leia o restante desse texto »


Paralelos Entre Os Javalis Selvagens e a Seleção da Croácia

12 de julho de 2018
Por: Paulo Yokota | Seção: Cultura, Editoriais e Notícias | Tags: , ,

Acompanhando o noticiário mundial, no qual os médicos se surpreendem com a saúde física e mental dos jovens da equipe Javalis Selvagens que ficaram retidos por semanas nas grutas. Bem como a seleção croata de futebol que superou a da Inglaterra, depois de uma clip_image002campanha difícil, que exigiu participação em três prorrogações que causam fortes desgastes físicos e mentais. Há que se constatar que existem fatores que provocam determinações que superam as dificuldades que nem sempre são avaliadas com todos os cuidados por muitos analistas.

Os médicos se dizem surpresos a saúde física e mental dos jovens jogadores da equipe Javalis

Leia o restante desse texto »