Tentando aproximar a Ásia da América do Sul e vice-versa

Em se Plantando Tudo dá…

28 de outubro de 2020
Por: Paulo Yokota | Seção: Agricultura, Editoriais e Notícias | Tags: , , ,

Quando se observa o que está ocorrendo no Brasil, pode-se supor que os brasileiros e suas principais autoridades não conhecem o suficiente este país. Pero Vaz de Caminha, que acompanhava Pedro Álvares Cabral, registrou que nas novas terras “descobertas” em se plantando tudo dá… O cacau e a borracha, entre outros produtos, eram originários do Brasil, mas acabaram sendo produzidos em outros países, de onde importamos para atender as nossas atuais necessidades. Da America do Sul, a batata foi levada para a Europa para evitar que milhões lá falecessem pela fome. Algo semelhante aconteceu com o milho, que era conhecido no México por milênios. O café, do qual Brasil se tornou o maior produtor do mundo, veio do Mediterrâneo. Estes intercâmbios no setor rural sempre foram importantes.

Mais recentemente, Brasil se tornou um dos maiores produtores de soja e caminha agora para a produção do trigo tropical. Mas o país também teve seus fracassos, pois o dendê, mais conhecido como “palm oil”, o óleo mais consumido no mundo, tem neste país uma produção insignificante. O açaí brasileiro se tornou conhecido no mundo recentemente, o melão está sendo exportado e o vinho brasileiro produzido da uva irrigada está sendo reconhecido pela sua qualidade, como alguns queijos. Diversos tipos de carne, bovinas, suínas e de frango, estão sendo colocados em mercados externos.

Na economia brasileira, o setor agropecuário é dos mais avançados quando comparados com outros países, mas existem muitos produtosque ainda não estão devidamente explorados, ajudando na criação de empregos para as atividades complementares e com o uso das tecnologias mais atualizadas, comparáveis com as usadas no setor de cereais. Muitos produtos podem proporcionar empregos adicionais interessantes e proporcionar retornos compensadores para os empresários que atuam no setor, sem subsídios, mas somente tendo o reconhecimento de sua prioridade pelo governo.

clip_image002

Emprego de tecnologias avançadas na produção de cereais no Brasil

Recentemente, algumas frutas provenientes do exterior, do outro lado do mundo, estão sendo produzidas no Brasil, como a lichia e o kiwi, com qualidade razoável que ainda pode ser melhorada. Elas já são conhecidas no mercado mundial. Muitas outras originárias das diversas regiões do Brasil apresentam perspectivas promissoras, por serem de áreas tropicais, como o abacaxi, maracujá, goiaba e o caju, entre muitas outras. As menos conhecidas, até dos brasileiros, são o bacuri, cupuaçu, mangaba, pitanga, cajá e outros que podem ser exportadas como sucos ou sorvetes, proporcionando rendas compensadoras e empregos para os recursos humanos que estão sendo necessários. As compensações para os atingidos pela crise da Covid-19 não são sustentáveis por muito tempo, mas estas atividades podem ser ampliadas com os correr dos anos.

O país dispõe de entidades de pesquisas para os seus aperfeiçoamentos técnicos, como a Embrapa, além de treinamento de recursos humanos, como as instituições relacionadas com o chamado sistema S, do tipo SENAI e SESC. Parece que estas cogitações se adaptam às necessidades brasileiras.


Exageros em Algumas Dimensões de Produtos Agrícolas

18 de outubro de 2019
Por: Paulo Yokota | Seção: Agricultura, Editoriais e Notícias | Tags: , , , , ,

Uma matéria publicada no China Daily chama a atenção sobre vegetais apresentados em exposições espalhadas pelo mundo, com dimensões exageradas. Não são de produções normais, mas casos que foram apresentados em eventos, mas que dão mostras do que pode ser conseguido e as fotos dão uma ideia, quando comparadas com figuras que foram clip_image002apresentadas juntas, permitindo uma equiparação interessante.

As abóboras que são usadas pelos norte-americanos para marcar o helloween são tradicionais, mas repolhos, cenouras e outros produtos não são muito frequentes e dão uma ideia do que se pode atingir para alimentação dos seres humanos. Existem outros que constam do artigo no China Daily

Leia o restante desse texto »


Maçã Monalisa Decorrente da Pesquisa

20 de maio de 2019
Por: Paulo Yokota | Seção: Agricultura, Editoriais e Notícias | Tags: , , , , ,

clip_image002Num artigo de Vanessa da Rocha, publicada na Folha de S.Paulo, informa-se que pesquisadores da Epagri – Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural de Santa Catarina obtiveram a variedade de maçã que é doce, crocante, suculenta e tem uma boa aparência. A sua produção na Europa deverá pagar direitos para a estatal de Santa Catarina, que a vem produzindo desde 2017, devendo atingir o auge em 2022.

Maçã Monalisa desenvolvida pela Epagri de Santa Catarina, que está tendo uma boa aceitação

Leia o restante desse texto »


Disseminação da Agrofloresta no Brasil

13 de junho de 2016
Por: Paulo Yokota | Seção: Agricultura, Editoriais e Notícias | Tags: , , ,

clip_image002São crescentes as informações de projetos de agrofloresta nas mais diversas regiões brasileiras, mostrando que existem preocupações na sustentabilidade da agricultura, com a preservação das florestas, propiciando atividades lucrativas.

O suíço Ernst Götsch considerado pioneiro no Brasil na Agrofloresta

Leia o restante desse texto »


Intensas Pesquisas nas Tecnologias para a Agricultura

12 de junho de 2016
Por: Paulo Yokota | Seção: Agricultura, Cultura, Editoriais e Notícias | Tags: , , | 2 Comentários »

Mesmo com a impressão que as atividades rurais sempre foram consideradas secundárias nas pesquisas científicas de todo o mundo, o fato concreto é que elas vêm permitindo uma das atividades mais importantes para a humanidade que é a alimentação, com uma contínua melhoria de sua produtividade. Houve períodos, como de Thomas Malthus, quando se acreditava que a população não poderia continuar crescendo, diante da possibilidade da falta de alimentos, teoria hoje totalmente desmentida.

clip_image002

As pesquisas transformando as produções agrícolas semelhantes às produções industriais. Foto publicada na matéria do The Economist

Leia o restante desse texto »