Tentando aproximar a Ásia da América do Sul e vice-versa

Futebol, a Paixão Nacional que Virou Mundial

26 de junho de 2010
Por: Paulo Yokota | Seção: Notícias | Tags: | 2 Comentários »

 

Verificando os jornais dos 16 países classificados, bem como dos mais cotados e desclassificados, constata-se que o futebol, com a atual Copa do Mundo, deixou de ser o esporte nacional brasileiro e gera paixões em países onde outras modalidades esportivas são mais prestigiadas. Na América do Sul, com 5 países classificados, na Europa com 6, o futebol já tinha muito prestígio. Mas passou a ser paixão nacional também na Coreia do Sul, no Japão, no continente africano e até merece destaque no New York Times. Por mais críticas que se possa fazer, isto decorre de uma política estabelecida pela FIFA.

No Japão, por exemplo, o jornal econômico de maior circulação mundial Nikkei destaca a classificação de sua equipe, e o técnico Takeshi Okada, o primeiro que não era estrangeiro a dirigir a seleção nipônica, e que tinha colocado o seu cargo à disposição por causa de críticas gerais. Ele virou herói nacional. É a primeira vez que o Japão passa para a segunda fase. Na campanha classificatória para a Copa do Mundo, como o Japão vinha sendo derrotado pelo seu arquiinimigo regional, a Coreia do Sul, o técnico, como em muitos países, era o culpado principal.

seleçao japonesa

Como no Brasil, o futebol da seleção japonesa mobiliza a população

Na madrugada japonesa, pois os fusos horários provocam estas defasagens, multidões de fãs se reúnem em comemorações semelhantes aos dos brasileiros, provocando até a manifestação pública de regozijo do primeiro-ministro pelos resultados até agora obtidos. Ainda não chega a provocar, praticamente, um feriado parcial nos dias de jogo, como no Brasil, como me informou um japonês.

Na França, a desclassificação prematura provocou até a queda do prestigio político do seu Presidente da República. Na Itália, o conhecido Corriere Della Sera, de Milão, estampa as declarações dos seus principais jogadores, informando que haverá uma profunda modificação no futebol daquele país. Justifica-se a deserção de alguns jogadores norte-coreanos, pois muitos deles podem ser jogados no mínimo no ostracismo em seu país, com futuro muito incerto.

Em Gana, único país africano que passou para a segunda fase nesta Copa do Mundo, o jornal Business and Financial News lembra que somente três países deste continente passaram pela primeira fase em todas as Copas. Pouco para tantos africanos que jogam em equipes internacionais de grande prestígio.

Portanto, entre lamentações e alegrias, constata-se que o futebol é capaz de provocar profundas paixões, sendo com razão a modalidade esportiva que mobiliza metade dos recursos publicitários destinados a todos os esportes.


2 Comentários para “Futebol, a Paixão Nacional que Virou Mundial”

  1. cody
    1  escreveu às 07:07 em 26 de Fevereiro de 2013:

    Caro Webmaster,

    Eu visitei seu site e achei que fosse o conteúdo bastante útil.
    Eu convido você para uma troca de artigo com o nosso website (s).

  2. Paulo Yokota
    2  escreveu às 08:41 em 27 de Fevereiro de 2013:

    Caro Cody,

    Obrigado pelo comentário, mas acho que o esporte não é o foco do nosso site.

    Paulo Yokota


Deixe aqui seu comentário

  • Seu nome (obrigatório):
  • Seu email (não será publicado) (obrigatório):
  • Seu site (se tiver):
  • Escreva seu comentário aqui: