Tentando aproximar a Ásia da América do Sul e vice-versa

Reflexões Sobre os Grandes Problemas Brasileiros

27 de setembro de 2010
Por: Kazuhiro Kurita | Seção: Editoriais | Tags: , ,

654373 As vésperas das eleições são oportunidades para diversos meios de comunicação social efetuar os seus balanços sobre os problemas que acham que devem ser resolvidos pelos que forem eleitos. Encarregam seus jornalistas e outros estudiosos para apresentarem suas análises, com uma pauta influenciada pelas suas convicções ideológicas, e com a presunção que os candidatos não equacionam os problemas mais complexos do país. Supõem que muitos que se submetem ao pleito ficam em proposições gerais que não prejudiquem segmentos dos eleitores que são contrários a alguns enfoques, ou os comprometam com projetos que demandam volumosos recursos, que sempre serão limitados.

Ainda que muitos problemas tenham sido razoavelmente equacionados recentemente, como indicam algumas pesquisas, mostrando que as prioridades de aspirações da população tenham se alterado, parece que alguns suplementos como o do O Estado de S.Paulo insistem em apontar a necessidade da melhoria na distribuição de renda. Que as limitações da educação sejam quase consensuais, sempre será compreensível. O que parece mais difícil é compreender que os recursos são escassos, e as aspirações são muitas, destacando-se hoje os de saúde e segurança. Repetimos sempre que o desenvolvimento é a superação de alguns problemas e a criação de novos.

Os analistas do exterior, que não estão envolvidos diretamente nas questões políticas brasileiras, parecem ter maior isenção para análise das nossas dificuldades, que são muitas. No geral, parece que eles entendem que o país avançou substancialmente, parte pela ajuda de uma economia mundial e ascensão, e mesmo quando a crise se instalou em todo o mundo, pelas orientações pelas quais optou.

Para a continuidade do processo de desenvolvimento existem outras limitações, como a melhoria do sistema educacional, das pesquisas e geração de tecnologias, melhoria da infraestrutura, entre as mais prioritárias. Os candidatos deveriam apresentar suas estratégias pelas quais procurarão atender estas necessidades, submetendo-as aos eleitores. Mas os veículos de comunicação parecem entender que precisam preencher lacunas que continuam existindo.

Muitos países utilizam os sistemas eleitorais distritais mistos, por entenderem que alguns candidatos atendem as aspirações de uma determinada comunidade, enquanto outros eleitos pelas chamadas listas, deveriam se preocupar com os grandes problemas nacionais.

De qualquer forma, com a repetição das eleições, sempre há possibilidades de aperfeiçoamento, melhorando a representação e a cobrança dos eleitos. O Brasil já avançou um pouco, mas parece que há muito que se fazer pela frente, se tiver a ambição de se tornar uma potência emergente.



Deixe aqui seu comentário

  • Seu nome (obrigatório):
  • Seu email (não será publicado) (obrigatório):
  • Seu site (se tiver):
  • Escreva seu comentário aqui: