Tentando aproximar a Ásia da América do Sul e vice-versa

Preparações da Sucessão na China

25 de Abril de 2016
Por: Paulo Yokota | Seção: Economia e Política, Editoriais e Notícias | Tags: , ,

Todos sabem que mesmo num sistema político fechado como o da China, existem nos bastidores lances que antecedem muitas etapas semelhantes a um jogo de xadrez. Cinco dos sete atuais membros do Comitê Permanente do Politburo do Partido Comunista Chinês devem se aposentar até outubro de 2017, determinando quem será o substituto de Xi Jinping.

clip_image001

Foto com Liu He, à esquerda, e Wang Huning, à direita, ao lado de Xi Jinping no encontro com Barack Obama em Washington, no fim do mês de março último, publicado no artigo do Nikkei Asian Review

Como o sistema político chinês é extremamente fechado, os analistas que acompanham os acontecimentos naquele país procuram sinais indicando quem são os potenciais novos membros do Comitê Permanente do Politburo, que deverá, até outubro de 2017, renovar cinco dos seus sete membros pela aposentadoria compulsória. Entre eles, deve estar o sucessor de Xi Jinping, que juntamente com o primeiro-ministro Li Keqiang deve permanecer ainda no Politburo.

Como se sabe, Xi Jinping concentrou como poucos líderes chineses o poder em todas as áreas, reduzindo o de outros grupos que poderiam rivalizá-lo, com medidas anticorrupção afetando grupos como os seguidores de Jiang Zemin e Hu Jintao, antigos presidentes que o antecederam. As reações que estão ocorrendo podem ser consideradas normais, mas Xi Jinping pretende fazer o seu sucessor, sendo que Liu He e Wang Huning estão entre os mais prováveis.

Além da reação dos grupos políticos afetados, é preciso reconhecer que o mandato de Xi Jinping passa por um período difícil, com a desaceleração do crescimento econômico do país, bem como dificuldades para maior destaque à sua bolsa de valores, passando os bancos chineses a terem importância internacional. O yuan também se pretende consolidar como uma das moedas de reseva internacional, mas as dificuldades econômicas não permitem um deslanche como o esperado.

Liu He é a principal figura considerada na formulação da política econômica chinesa e está com 65 anos e escreve os discursos do presidente. Ele estudou também em Harvard, depois de se formar na prestigiosa Universidade de Tsinghua, parecendo ser o preferido de Xi Jinping. Mas na hierarquia chinesa está abaixo de Wang Huning com 62 anos que serviu a outros presidentes. Wang é considerado o faz tudo, e é professor da consagrada Universidade de Fudan.

Estes líderes chineses contam com boas formações e vieram ascendendo dentro do governo, com grandes chances para chegarem ao topo. Diferem de outros países emergentes que nem sempre contam com lideranças preparadas e experientes.

Estas informações constam do artigo de Katsuji Nakazawa e foram publicadas no Nikkei Asian Review.



Deixe aqui seu comentário

  • Seu nome (obrigatório):
  • Seu email (não será publicado) (obrigatório):
  • Seu site (se tiver):
  • Escreva seu comentário aqui: