Tentando aproximar a Ásia da América do Sul e vice-versa

China Pressiona Analistas Para Reduzir Notícias Negativas

4 de Maio de 2016
Por: Paulo Yokota | Seção: Economia e Política, Editoriais e Notícias | Tags: , ,

É verdade que está difícil garimpar notícias econômicas positivas no mundo, mas um artigo publicado por Lingling Wei no The Wall Street Journal informa que o governo chinês está instando analistas a evitarem as notícias negativas sobre a economia do país.

clip_image002

Gráfico publicado no artigo sobre a China no The Wall Street Journal

Somos daqueles que acreditam que vale a pena mencionar os assuntos positivos que ocorrem no mundo, mas percorrendo os dados da imprensa nacional e internacional constata-se que eles estão rareando, infelizmente. Na China, onde o controle do governo é severo sobre os analistas que escrevem sobre os acontecimentos na economia daquele país, o artigo de Lingling Wei, publicado no The Wall Street Journal, informa que há uma crescente pressão para se evitar visões negativas, notadamente sobre a bolsa e a fuga de recursos daquele país.

O mundo passa por um período difícil e o Brasil acumula também uma crise política. Na China, existe uma evidente desaceleração do crescimento da sua economia, havendo necessidade de reformas difíceis que permitam transferir os estímulos do crescimento do mercado externo para a economia local. Este processo é doloroso e difícil de ser executado, mesmo numa economia onde a presença do governo é mais acentuada que em outros países.

O gráfico apresentado pelo The Wall Street Journal mostra que as cotações na bolsa não crescem como o desejado, o PIB daquele país vem aumentando mais lentamente e muitos analistas chamam a atenção para os problemas que ocorrem no país, onde também o combate à corrupção resulta em disputas políticas entre seus principais grupos. A concentração excessiva de poder por Xi Jinping acabou prejudicando outros grupos, que procuram manifestar suas insatisfações. O que acontece no Brasil é algo semelhante numa escala mais aguda, apesar de se tratar de um regime democrático.

Alguns analistas na China que publicaram notícias preocupantes estão sendo pressionados a corrigi-las, com a observação de que não seria conveniente insistirem nas orientações anteriores. Eles procuram tranquilizar a população, como se isto fosse possível, pois as bolsas continuam mais baixas do que desejariam, o crescimento está mais baixo e há uma saída de recursos para outros países. Os chineses estão espalhados, com seus familiares vivendo em muitas partes do mundo, e atuam de forma global, procurando segurança, embora o resto do mundo também não esteja tão brilhante.

Xi Jinping tem visitado as agências oficiais de notícias como o Xinhua, o People’s Daily e a China Central Television insistindo que eles necessitam seguir a orientação do Partido Comunista, contando a história da China de forma positiva para influenciar o resto do mundo. Alguns jornalistas que divulgaram os problemas da bolsa estão sendo obrigados a saírem de licença. As autoridades pararam de divulgar alguns dados relacionados com o fluxo de capitais.

Alguns bancos foram forçados a transformar empréstimos incobráveis para outros novos em condições mais favoráveis, evitando problemas de falência. Também os relacionamentos com Hong Kong estão sofrendo, quando se noticiam informações preocupantes. Também algumas notícias sociais estão sendo corrigidas.

Realmente, a liberdade de imprensa é muito limitada na China.



Deixe aqui seu comentário

  • Seu nome (obrigatório):
  • Seu email (não será publicado) (obrigatório):
  • Seu site (se tiver):
  • Escreva seu comentário aqui: