Tentando aproximar a Ásia da América do Sul e vice-versa

Brasil no Noticiário Internacional

23 de Maio de 2011
Por: Paulo Yokota | Seção: Editoriais, Notícias | Tags: , , ,

O Brasil está se tornando um foco de atenção internacional diante da melhoria do padrão de vida de parte substancial de sua população que até agora era considerada desfavorecida. O The New York Times dedica um artigo elaborado por Alexei Barrionuevo relatando o que já está acontecendo com algumas empregadas domésticas. O The Economist publica um artigo sobre o desenvolvimento do Nordeste brasileiro, uma das regiões que era considerada pouco desenvolvida e que passa por uma profunda modificação. São constantes os artigos encontrados na imprensa internacional reportando mudanças importantes que estão ocorrendo, mas que parte da imprensa brasileira contrária ao atual governo procura não admitir.

O artigo do The New York Times trata de alguns casos concretos mostrando que as tradicionais empregadas domésticas que ganhavam pouco e trabalhavam quase sem folgas semanais é coisa do passado, como está sendo constatado por um grande número de famílias brasileiras. Cita o caso da babá Andreia Soares, 39 anos, que ganha atualmente o correspondente a US$ 3.100 para cuidar de uma menina de 10 meses, tendo já adquirido um apartamento de dois quartos para a sua mãe, um pedaço de terra para seu irmão e está com bolsa Louis Vuitton, de Paris, no seu armário, com muito orgulho.

babaporto_suape2

Foto da babá: www.mulheresnopoder.com.br / Porto do Suape

Todos sabem que hoje é difícil conseguir uma empregada doméstica que dorme no emprego. As mais preparadas trabalham somente cinco dias por semana e ganham duas a quatro vezes o que recebiam há cinco anos. Aumenta as diaristas e, segundo a Fundação Getúlio Vargas, entre 2003 a 2009 a renda média de todas as empregadas domésticas aumentou 34%.

O artigo cita o caso de uma outra babá, Ieda Barreto, 32 anos, que há sete anos ganhava o correspondente a US$ 400, com folga de 24 horas por semana, e hoje ganha US$ 1.900 trabalhando de segunda a sexta-feira, recebendo um extra de US$ 250 para trabalhar nos fins de semana.

Seis anos atrás, Evanice dos Santos, uma ex-babá, transformou-se em uma blogueira, e agora casada ajuda as babás amigas pela internet para conseguir uma situação melhor, com melhores salários e menos horas de trabalho.

No artigo, o The Economist mostra que o antigo e pobre Nordeste está dando lugar a pontos como Pacem, Ponta da Madeira, Salgueiro e Suape, que está permitindo um crescimento superior ao nacional, não somente pelos programas sociais implantados por Lula da Silva. Novas empresas, como a Kraft Foods, estão se instalando na região.

A infraestrutura da região está melhorando com os investimentos federais, em colaboração com o setor privado. As demandas de países emergentes como a China estão utilizando mais intensamente portos que exportam minérios, como o de Carajás.

O artigo aponta que o risco existente decorre de um pobre sistema educacional. As empresas estão preparando recursos humanos, mas a região continua investindo menos em escolas que a média nacional, com professores fracos.

Muitos outros artigos falam da melhoria dos mais modestos das periferias das grandes metrópoles que estão criando uma nova classe média emergente, que continuam demandando produtos que sustentem um crescimento significativo do mercado interno, fazendo com que a crise de 2008 tenha sido superada com menos dificuldade que no mundo desenvolvido.



Deixe aqui seu comentário

  • Seu nome (obrigatório):
  • Seu email (não será publicado) (obrigatório):
  • Seu site (se tiver):
  • Escreva seu comentário aqui: