Tentando aproximar a Ásia da América do Sul e vice-versa

O Complexo Processo de Eliminação das Corrupções Políticas

15 de Fevereiro de 2013
Por: Paulo Yokota | Seção: Editoriais, Notícias, Política, webtown | Tags: , , ,

A revista internacional The Economist chama a atenção dos seus eleitores que, mesmo em tempo de Carnaval no Brasil, foram colhidas 1,36 milhão de assinaturas numa petição popular, 1% do eleitorado brasileiro, para solicitar a destituição do novo presidente do Senado Federal eleito no dia primeiro de fevereiro último. Isto ocorreu em somente 10 dias, pois a petição já contava com estas assinaturas no dia 11 de fevereiro, segunda feira de Carnaval. Como é sabido, Renan Calheiros, que já foi presidente do Senado entre 2005 a 2007, teve que renunciar acusado de muitas irregularidades, com o suporte para um filho seu fora do casamento por uma empreiteira, como a absurda alegação de que ele contava com recursos necessários para tanto pela venda de gado de sua fazenda, entre outros fatos.

A revista informa que potenciais candidatos da oposição para a Presidência da Republica em 2014, como Aécio Neves e Eduardo Campos, apesar de se manifestarem por um nome alternativo, não contaram senão com uma votação insignificante contra Renan Calheiros. Mesmo a atual presidente Dilma Rousseff teve que adotar uma posição de “real politik”, admitindo-o, quando não tomou partido dos seus partidários no julgamento do processo conhecido como “mensalão” no Supremo Tribunal Federal, tentando firmar uma imagem de campeã contra a corrupção.

92E6580794FF456B90F4B9BED59ACE68

Máscaras de Joaquim Barbosa foram uma das mais procuradas durantre o Carnaval

A revista informa sobre a rejeição popular, inclusive com o uso de máscaras do presidente Joaquim Barbosa no Carnaval, ele que foi transformado num herói nacional. Os eleitores, sem esperanças nos políticos, estão utilizando meios judiciais para combater os considerados políticos, que insistem em manter os considerados sem condições de “fichas limpas”.

A revista ressalta que não se trata somente de Renan Calheiros, mas outros políticos que conseguem se manter no cenário nacional, apesar de condenados em diversas instâncias, inclusive no exterior. Ou acusados e investigados por crimes variados.

Há uma desesperança dos eleitores, que manifestam numa pesquisa de opinião que somente uma minoria apoia qualquer partido político. E procuram mecanismos judiciais ou mobilizações populares, quando muitos se manifestam com cartazes pedindo que tais políticos sejam banidos do cenário nacional. É lamentável que o processo político, depois de 1988, quando se voltou à democracia, ainda enfrente tais problemas, pois o Brasil figura entre os poucos países emergentes que contam com as diversas sucessões de comando com mandatos definidos, com eleições indiscutíveis e de rápidas apurações.

Em que pesem estes políticos e seus eleitores, espera-se que o aumento das difusões das informações acabe provocando aperfeiçoamentos no sistema eleitoral e político nacional, pois o Brasil não merece continuar sofrendo estes desgastes, havendo um grande número de brasileiros que aplaude as medidas de maior transparência e condenação das irregularidades.



Deixe aqui seu comentário

  • Seu nome (obrigatório):
  • Seu email (não será publicado) (obrigatório):
  • Seu site (se tiver):
  • Escreva seu comentário aqui: