Tentando aproximar a Ásia da América do Sul e vice-versa

Medalha de Ouro do Brasil nos 4x200m na China

14 de dezembro de 2018
Por: Paulo Yokota | Seção: Editoriais e Notícias, Esportes | Tags: , , , ,

clip_image002Um resultado surpreendente foi obtido pela natação brasileira no revezamento de 4x200m, em piscina de 25 metros, superando a China, Estados Unidos e a Rússia, no Mundial de Natação realizado em Hangzhou, na China. Medalha de ouro para os jovens Luiz Altamir, Fernando Scheffer, Leonardo Santos e Breno Correia, quebrando o recorde mundial com 6m46s81. Parabéns a estes jovens, pois Leonardo Santos, o mais velho, só tem 23 anos.

Leia o restante desse texto »


Os Investimentos Em Pesquisas e Desenvolvimentos

16 de dezembro de 2010
Por: Paulo Yokota | Seção: Tecnologia | Tags: , , , ,

Os dados publicados por Gautan Naik num artigo no Wall Street Journal Asia informam que a China supera em 2011 os investimentos que serão efetuados em pesquisa e desenvolvimento pelo Japão, tornando o segundo no mundo, ainda liderados pelos Estados Unidos que despenderam US$ 395,8 bilhões em 2010. Eles estão baseados nos estudos efetuados pelo Battelle Memorial Institute, que pode ser considerada uma instituição insuspeita, pois gerenciam seis laboratórios nacionais para o Departamento de Energia dos Estados Unidos.

Os chineses continuam aumentando seus investimentos nestas áreas, tendo despendido US$ 141,4 bilhões em 2010 e programam US$ 153,7 bilhões em 2011, enquanto os japoneses investiram US$ 142,0 bilhões e pretendem despender US$ 144,1 bilhões em 2011. Outros dados desta instituição informam que o Brasil firma-se como líder latino-americano, ainda longe dos asiáticos, pois também a Índia apresenta uma perspectiva auspiciosa.

battelle_logo 

Leia o restante desse texto »


A China e o Resto do Mundo

20 de janeiro de 2010
Por: Paulo Yokota | Seção: Intercâmbios | Tags: , , , , | 2 Comentários »

Na análise sempre perspicaz do professor Antonio Delfim Netto, publicado hoje na sua coluna semanal na Folha de S.Paulo, sob o título “Até quando?”, ele relata o encontro do Obama com Hu Jintao, constatando que a China fingiu não ter ouvido a súplica para que deixasse flutuar o yuan livremente. Quem tem a assinatura da Folha pode acessar diretamente o site daquele jornal para obter a integra do artigo, e os que não o têm podem nos solicitar pelo email.

Todos sabem que o yuan extremamente desvalorizado provoca um desequilíbrio no comércio internacional mundial, gerando grandes superávits chineses com o resto do mundo, enquanto muitos países enfrentam substanciais déficits.

Leia o restante desse texto »