Tentando aproximar a Ásia da América do Sul e vice-versa

Aprofundamento dos Entendimentos Nipo-Indianos

1 de Maio de 2012
Por: Paulo Yokota | Seção: Economia, Editoriais, Notícias, webtown | Tags: , ,

O jornal econômico Nikkei informa que uma equipe de ministros japoneses formado pelo de Negócios Estrangeiros, Koichiro Gemba, de Indústria, Yukio Edano, e de Serviços Financeiros, Shozaburo Jimi, mantiveram entendimentos na Índia com o de Assuntos Externos, S.M.Krishna, e de Comércio e Indústria, Anand Sharma. Eles deram prosseguimento ao acordo firmado pelo premiê Yoshihiko Noda com o premiê Manmohan Singh envolvendo US$ 9 bilhões para o projeto do Corredor Industrial Delhi-Mumbai, para construir a ferrovia de transportes de cargas e outras infraestruturas na Índia.

Segundo a notícia, eles também acertaram o início das exportações de terras raras para o Japão, decorrentes da exploração conjunta na Índia, no segundo semestre deste ano. Com a participação da empresa japonesa Toyota Tsusho e uma estatal hindu, pretendem exportar 4.000 toneladas de terras raras, representando cerca de 14% da demanda japonesa anual destes recursos.

610x

Ede Koichiro Gemba com S.M. Krishna

Leia o restante desse texto »


Três Suplementos Especiais do Valor Econômico

20 de dezembro de 2011
Por: Paulo Yokota | Seção: Economia, Editoriais, Notícias, webtown | Tags: , , ,

O jornal Valor Econômico publica com regularidade suplementos sempre úteis, pois permitem fazer um balanço do que acontece no segmento abordado. Hoje, antes que todos entrem no clima natalino e de final de ano, foram publicados os suplementos especiais sobre a infraestrutura, o Nordeste brasileiro e os negócios sustentáveis que merecem uma consulta mais demorada dos leitores. O relacionado com a infraestrutura faz um balanço dos investimentos que foram programados para o quatriênio 2006 a 2009 (R$ 247 bilhões) no Brasil e o que está previsto para o atual de 2011 a 2014 (R$ 380 bilhões). Compara a formação bruta de capital com relação ao PIB de algumas economias emergentes como a China (45,6%), Vietnã (34,5%), Indonésia (30,8%), Índia (29,3%), Coreia do Sul (28,7%) e o Brasil (19,5%) com dados do Banco Mundial e do IBGE. Procura mostrar que o Brasil está em marcha engrenada.

Nos outros dois suplementos, igualmente importantes, o primeiro sobre o Nordeste, mostra que desde 2003 o seu crescimento médio é de 7% ao ano, acima da média brasileira, mas ainda necessita de maiores investimentos em infraestrutura e educação. No segundo, sobre os negócios sustentáveis, destacam-se alguns esforços que estão sendo efetuados no Brasil mostrando que existem ainda outras oportunidades, como a produção dos pescados em cativeiros.

untitled

Leia o restante desse texto »


Investimentos em Economias Emergentes

23 de Maio de 2010
Por: Paulo Yokota | Seção: Empresas | Tags: , ,

Alguns analistas avaliam que economias industrializadas como a norte-americana ou a japonesas não apresentam o dinamismo que possuíam no passado. Mesmo que isto esteja ocorrendo, suas dimensões, tecnologias disponíveis, capacidade empresarial e possibilidades de investimentos não podem ser desprezadas. O que ocorre é que as suas empresas mais importantes estão efetuando investimentos em economias emergentes.

Verificando os planos de investimentos das empresas japonesas, o jornal econômico Nikkei constata que as suas empresas automobilísticas estão com planos concretos para ampliar suas instalações na China e na Índia. As empresas capazes de produzir equipamentos para a infraestrutura também estão com seus orçamentos preparados. Algo semelhante ocorre com as que possuem tecnologia para melhoria do meio ambiente.

Leia o restante desse texto »


Colaboração Sino-Japonesa

23 de abril de 2010
Por: Paulo Yokota | Seção: Integração | Tags: , , ,

fujio Uma missão do Keidanren – Federação das Organizações Econômicas do Japão planeja para maio próximo uma visita à China. Seu presidente, Fujio Mitarai, concedeu uma entrevista para o jornal econômico Nikkei explicando os objetivos da mesma.

O Keidanren pretende que a colaboração sino-japonesa seja contínua e planeja que estas reuniões bilaterais sejam anuais. Pretende oferecer a colaboração japonesa no atendimento das necessidades chinesas, com a tecnologia que possuem e capacidade de mobilização de recursos.

Leia o restante desse texto »